No início desta sexta-feira (27/12) um avião com 93 passageiros e 5 tripulantes caiu no Cazaquistão. Segundo as autoridades locais, pelo menos 12 mortes foram confirmadas inicialmente.

O acidente foi logo depois da decolagem, perto das 07h00 da manhã (horário local), em Almaty, a maior cidade do país. O destino do voo Z9-2100 era a capital do Cazaquistão, Nursultan.

O acidente deixou ainda 66 feridos, incluindo seis crianças, que foram “internados em estado extremamente grave”, segundo a prefeitura de Almaty.

A aeronave da empresa Bek Air era um Fokker 100 de matrícula UP-F1007. O avião caiu sobre um prédio de 2 andares.

A Autoridade de Aviação Civil do Cazaquistão informou que o Certificado de Operador Aéreo da Bek Air foi suspenso em 27 de dezembro de 2019 após o acidente. A aeronave do acidente entrou em serviço em 8 de abril de 1996. Seu certificado de aeronavegabilidade foi renovado pela última vez em 22 de maio de 2019. 

Um passageiro informou que a aeronave havia acabado de decolar e estava começando a ganhar altitude quando a aeronave inclinou para a esquerda e para a direita, e então ocorreu um impacto. 

Descrição da trajetória da aeronave durante a decolagem.

Investigadores encontraram marcas deixadas pelo avião na pista do aeroporto.

“Antes de cair, a aeronave tocou a pista com a cauda duas vezes, o trem de pouso estava recolhido”, disse o vice-primeiro-ministro, Roman Sklyar, a repórteres. “Uma comissão… estabelecerá se isso foi erro do piloto ou problemas técnicos. A pista estava em condição ideal”.

Um repórter de Reuters viu os restos da parte frontal do avião e outras partes da fuselagem espalhadas ao redor do que sobrou da casa atingida.
 
A pasta afirmou que está investigando a possibilidade de violação das regras de operação e segurança de voo, um procedimento legal padrão.
 

 

Fotos – Pavel Mikheyev/REUTERS