A Força Aérea Brasileira pode colocar um Boeing 767-300ER definitivamente na sua frota. Atualmente a FAB utiliza uma aeronave deste modelo através de um contrato de leasing, em que a empresa fornece o serviço de logística e a aeronave.

O Grupamento de Apoio Logístico (GAL) da FAB, que tem base no Aeroporto do Galeão, deverá lançar uma licitação com finalidade de finalmente comprar um Boeing 767-300ER.

Todas as propostas serão analisadas no próximo dia 8, no Aeroporto do Galeão, onde se localiza o GAL. Qualquer empresa internacional poderá oferecer uma aeronave para a Boeing.

A FAB vai escolher a aeronave vencedora pelo menor preço. Além do avião a empresa também deverá fornecer apoio logístico para o avião e upgrades por 36 meses após a assinatura do contrato.

Desde 2016 a FAB opera com o Boeing 767-300ER, usando tripulação própria do Esquadrão Corsário, a aeronave tem seu contrato de “aluguel” com duração até 2019, sendo possível prorrogar por mais um ano. Na FAB o Boeing 767-300ER já serviu para realizar várias missões, desde transporte presidencial até nas recentes ajudas humanitárias, transportando médicos, toneladas de remédios e até mesmo imigrantes venezuelanos.

O contrato da FAB não especifica se o Boeing 767 também terá outras funções, como a de KC, visada anteriormente pela Força Aérea para a substituição direta dos KC-137, baseados no Boeing 707, esses quatro aviões já foram aposentados em 2013. Outra função possível seria um modo Combi, onde o interior da aeronave pode receber carga ou passageiro, dependendo da finalidade.