F-22 EUA EUROPA POLÔNIA
Um dos seis F-22 que chegaram à base aérea de Lakenheath como parte do deslocamento para a Polônia. Foto: Seleena Muhammad-Ali/USAF.

Seis caças stealth F-22A Raptor da Força Aérea dos EUA (USAF) chegaram na terça-feira (26) na base aérea de Lakenheath, no Reino Unido, de onde deverão decolar tendo como destino a Polônia. Outros seis F-22 também deverão ser desdobrados no Leste Europeu.

Esta é a primeira vez que a USAF envia a ponta de lança de sua superioridade aérea para a Polônia, desde a invasão da Rússia na Ucrânia. O conflito completou cinco meses em julho, sem qualquer indício para uma resolução. 

Ao todo, 12 caças stealth F-22 devem ser enviados para o Leste Europeu. Foto: Cedrique Oldaker/USAF.

Os jatos “invisíveis ao radar” pertencem ao 90º Esquadrão de Caça, da Base Aérea Conjunta de Elmendorf-Richardson, no Alasca, que agora operarão deslocados na 32ª Base Aérea Tática em Lask, na Polônia. Enquanto estiver fora de sede, a unidade é chamada de 90º Esquadrão de Caça Expedicionário.

Na Europa, os F-22 vão reforçar o escudo aéreo da OTAN na Europa, como resposta à guerra entre Ucrânia e Rússia. 

Segundo o comando da Força Aérea dos EUA na Europa (USAFE), a capacidade de quinta geração contribui para a missão com sua capacidade de fornecer letalidade e capacidade de sobrevivência contra quaisquer ameaças emergentes de ponta.

Foto: Cedrique Oldaker/USAF.

A Polônia divide extensas fronteiras com a Ucrânia e Belarus. A base de Lask recebe outros aviões da OTAN desde antes do início das hostilidades, em 24/02. Os F-22 deverão se reunir com caças F-35A da USAF, F/A-18 Hornet dos Fuzileiros Navais, bem como os F-16 e MiG-29 Fulcrum da própria Força Aérea Polonesa. Aeronaves de alerta E-3 e aviões-tanque KC-135 também são presenças constantes na região.

“A missão de blindagem aérea da OTAN integra unidades de defesa aérea e antimísseis aliadas aéreas e de superfície no sistema de defesa aérea e antimísseis integrado da OTAN sob o comando e controle da OTAN”, diz a USAFE.

F-22 míssil AIM-120 AMRAAM
F-22 disparando um míssil ar-ar AIM-120 AMRAAM. Foto: USAF.

A missão ainda “fornecerá um escudo quase ininterrupto do Báltico ao Mar Negro, garantindo que os Aliados da OTAN sejam mais capazes de salvaguardar e proteger o território, as populações e as forças da Aliança contra ameaças aéreas e de mísseis.”