Nesta última segunda-feira (06/01) a Base Aérea de Hill, em Otah, realizou um Elephant Walk com 52 caças F-35A da Força Aérea dos Estados Unidos.

Esse exercício reuniu caças das alas 388º (serviço ativo) e 419º (reserva), e de acordo com informações da USAF, precisou de alguns meses de planejamento, para disponibilizar ao mesmo tempo as 52 aeronaves, sem nenhum problema de falha mecânica.

O Elephant Walk é um exercício militar que envolve todas ou se não a maioria das aeronaves de um esquadrão que taxiam juntas e decolam em grupos para cumprir diversas missões, com simulação até mesmo de ataque em massa.

O exercício demanda pronta disponibilidade de pelo menos 52 pilotos da USAF no mesmo momento, além de mecânicos, despachantes de voos e outras equipes auxiliares, como o centro de defesa e monitoramento de missão, chegando até mesmo aos caminhões que abastecem os caças com combustíveis.

Essa é uma movimentação bem significativa da USAF, que ocorreu poucos dias após o planejado ataque no Irã, e mostra que o recém-incorporado caça F-35 pode ter pronta disponibilizada.

Juntas as alas 388º e 419º têm 78 caças F-35A, e conseguiram disponibilizar ao mesmo tempo 52 caças deste modelo.

Considerando que o primeiro caça foi entregue em 2015, e os esquadrões foram completados no final de 2019, esse é um grande exercício de demonstração da pronta disponibilidade do F-35, que vai muito além da própria aeronave, e passa pela preparação dos próprios militares da USAF.

Os caças da 388ª Ala de Caça já operaram a partir da Base Aérea de Al Dhafra, nos Emirados Árabes Unidos, em missões realizadas ao longo de 2019.

A 388ª Ala de Caça também foi destaque em agosto de 2019, quando recebeu um F-35A diretamente da fábrica da Lockheed Martin em Fort Worth, Texas e colocou o mesmo em operação apenas cinco horas depois da entrega.

Veja um pouco da decolagem de um F-35 no Elephant Walk no vídeo abaixo: