Rafale francês carregando mísseis ar-ar Mica e um míssil nuclear ASMPA. Foto: Força Aeroespacial Francesa.

A Força Aeroespacial Francesa (Armée de l’Air et de l’Espace) realiza hoje (07) a Operação Poker, onde vai treinar e testar sua força de dissuasão nuclear. Cerca de 50 aeronaves participarão do exercício, realizado quatro vezes ao ano. 

A Operação Poker normalmente é realizada à noite. No entando, a Força Aérea decidiu, excepcionalmente, realizar essa edição durante o dia, aproveitando o baixo tráfego de aeronaves comerciais, cujos voos foram impactados diretamente pela atual pandemia. 

Caças Mirage 2000 e Rafale, três aviões tanque A330 MRTT Phénix, C-135FR e o E-3F Sentry, de alerta aéreo antecipado, participam do evento. Os caças farão o papel tanto de atacantes quanto de defensores. 

Diversas bases aéreas francesas estarão envolvidas na operação. Após decolarem, os aviões se encontrarão na região da Bretanha, no noroeste do país, voando pela costa oeste em direção aos Pirineus antes de cruzar para a costa do Mediterrâneo.

Caças Rafale, Mirage 2000-5F e Mirage 2000D voam com um A330 MRTT Phénix. Foto: Airbus.

Seguindo na missão, os caças passam a voar à baixa altura em direção ao centro da França, simulando o lançamento de armamentos nucleares. O site The Connnexion afirma que sistemas de defesa anti-aérea serão usados no exercício também. O portal também diz que caças farão o papel de inimigos, enquanto outros atacam um alvo simulado na região do Maciço Central. 

No Twitter, a Força Aérea confirmou que caças Rafale C e Mirage 2000 também representarão inimigos que tentam impedir o ataque. O exercício terá entre seis e sete horas de duração.

O coronel Olivier, gerente da Operação Poker, disse ao La Montagne, que o treinamento faz parte de uma estratégia de “dissuasão”.

“Nossa força aérea mostra que estamos preparados e crescendo em força”, disse ele. “Esse é um fator visível e dissuasivo.”

Em dezembro do ano passado a França realizou o primeiro teste de disparo do míssil de cruzeiro nuclear ASMPA (Air-Sol Moyenne Portée Amélioré) atualizado.

O artefato carregado por caças Rafale da Marinha e da Força Aérea tem um alcance de 500 quilômetros e pode carregar a nova ogiva TNA (Tête Nucléaire Aéroportée) com 300 kilotons de potência (300 mil toneladas de TNT). Para termos de comparação, a bomba atômica Little Boy, lançada em Hiroshima no final da Segunda Guerra Mundial, tinha 15 kilotons. 

Antes de serem integrados aos Rafale D/M, os ASMP eram carregados pelos Dassault Mirage IVP, Mirage 2000N e Super-Étendard. O míssil substitiuiu as bombas nucleares AN-52 em 1992.

E-3F Sentry francês. Foto: USAF.