Il-20M Rússia França interceptação OTAN
Aeronave de inteligência Il-20M estava sob escolta de dois Su-27. Foto: Estado-Maior das Forças Armadas Francesas.

Caças Mirage 2000 da Força do Ar e Espaço da França interceptaram e acompanharam um grupo de aeronaves militares da Rússia sobre as águas do Mar Báltico, na última terça-feira (03). 

Segundo o Estado-Maior das Forças Armadas Francesas, um par de caças Mirage 2000-5F decolaram da Estônia para interceptar e identificar as aeronaves russas, que estavam voando nos limites do espaço aéreo sobre o Báltico.

Mais tarde, as aeronaves foram identificadas como um Il-20M Coot-A, escoltado por dois caças Sukhoi Su-27 Flanker da Aviação Naval Russa. 

As imagens mostram que pelo menos um dos caças russos, um Su-27P Flanker-B de matrícula RF-33756,  estava armado com um par de mísseis ar-ar R-73 de curto alcance. 

Os Flankers estavam escoltando um quadrimotor turboélice Ilyushin Il-20M, uma versão militar do Il-18 de passageiros. O modelo foi modificado para se tornar um “avião-espião”, recebendo uma série de sistemas para coleta de sinais (SIGINT) e dados eletrônicos (ELINT).

Seu sensor principal é o radar de varredura lateral (SLAR) Isla-1, montado em um pod ventral com nove metros de comprimento. Cerca de dez destas aeronaves ainda estariam em operação na Aviação Naval e nas Forças Aeroespaciais Russas. 

A interceptação destas aeronaves é mais um episódio corriqueiro dentro da Missão de Policiamento Aéreo do Báltico, realizada pela OTAN desde 2004 quando Estônia, Letônia e Lituânia se juntaram à aliança militar, liderada pelos Estados Unidos. 

Durante um recente treinamento com a República Tcheca, o Ministério das Forças Armadas da França, explicou que são interceptadas aeronaves que não atendam aos seguintes critérios: ter apresentado um plano de voo válido, manter contato via rádio com organizações de controle de tráfego aéreo e identificar-se por transponder. 

O destacamento de caças Mirage 2000 franceses foi implantado na Base Aérea de Ämari, Estônia, em 13 de março. Já os caças tchecos assumiram a missão conjunta em abril, junto de um destacamento da Força Aérea da Espanha com caças EF-18.