França quer proibir voos de curta distância para todas as companhias aéreas

Dias atrás o Governo da França ressaltou que poderia proibir a maior companhia do país, a Air France, de operar voos de curta duração, que concorrem com rotas de ônibus ou trens de alta velocidade.

Porém agora o Governo Francês quer expandir essa regra para todas as outras companhias que podem operar voos no país, proibindo viagens aéreas de curta distância no país, principalmente aquelas com duração menor que duas horas e meia em trens de alta velocidade.

“Se estamos fazendo demandas à Air France, não é para que empresas de baixo custo possam aparecer e iniciar seu próprio serviço”, disse a Ministra francesa do Meio Ambiente, Elisabeth Borne Forbes à Forbes.

O Governo Francês justifica essa decisão como uma aceleração das viagens sustentáveis no país, com aviões que consomem menos combustíveis, e o uso de veículos alternativos mais eficientes.

O governo francês quer que a Air France reduza pela metade suas emissões globais de dióxido de carbono por passageiro-quilômetro até 2030, em comparação com os níveis de 2005. Isso está de acordo com os planos já estabelecidos pela companhia aérea. 

A meta de redução de CO2 para voos domésticos, no entanto, é ainda mais rigorosa: o ministro das Finanças pede uma redução de 50% até o final de 2024.

Em troca, o governo da França diz que fornecerá um empréstimo garantido pelo Estado de € 4 bilhões (US$ 4,4 bilhões) à holding Air France-KLM e companhia aérea Air France, além de um empréstimo direto de acionistas de € 3 bilhões ao grupo de companhias aéreas franco-holandesas.


 

DEIXE UMA RESPOSTA