Merlin Mk.4 da Marinha Real. Foto: Leonardo.

A frota global do helicóptero de médio porte Leonardo AW101 ultrapassou a marca de mio milhão de horas de voo na segunda-feira (17). Cerca de 200 aeronaves estão em operação em dez países, com o operador líder excedendo mais de 7.500 horas em uma única aeronave. 

Com aeronaves inclusive na Noruega e Polônia, o alcance global da plataforma se estende desde a América do Norte, Europa, Oriente Médio, África, até a região Ásia-Pacífico, afirma a fabricante Leonardo em comunicado.

Uma das aplicações de destaque do AW101 é o seu uso pela Marinha Real Britânica, que empregará seus Merlin Mk.2 em missões de vigilância com o Sistema Crowsnest. O AW101 Merlin Mk4 também fornecerá movimentação e transporte de pessoas e suprimentos, além de manobra aérea anfíbia para operações de navio para costa, se necessário.

O primeiro Merlin Crowsnest decolando de Culdrose. Foto: Royal Navy/Crown Copyright.

Entre os operadores-chave da plataforma estão a Força Aérea Italiana, a Força Aérea Real Dinamarquesa e a Força Aérea Portuguesa, que utilizam a aeronave principalmente para missões de Busca e Resgate (SAR) e/ou de Recuperação de Pessoal.

A Marinha Italiana tem usado seus AW101 para uma série de funções, incluindo todas as principais missões no ambiente naval. A Força Aérea Real Canadense opera a variante CH-149 Cormorant desde 2001, realizando milhares de missões SAR que salvam vidas nas condições ambientais mais extremas e difíceis, de costa a costa.

A parte interna do AW101 integra um glass cockpit totalmente integrado, Sistema Digital de Aviação de quatro eixos, um Sistema de Monitoramento de Saúde e Uso entre outras capacidades, que fornecem à tripulação maior consciência situacional, eficácia da missão e a capacidade de fazer avaliações táticas rápidas dia ou noite.

AW101 da Força Aérea Portuguesa. Foto: Leonardo.

Focado na sobrevivência, o design do AW101 é impulsionado pelas demandas dos clientes para operar de forma autônoma em locais e climas hostis. A ampla redundância em sistemas críticos de aviação, combinada com a configuração de três motores e capacidade comprovada de transmissão a seco de 30 minutos, garante os mais altos padrões de segurança.

No início de 2021, a Força Marítima de Autodefesa do Japão (JMSDF) atingiu um marco de 25.000 horas de voo. A Kawasaki Heavy Industries (KHI) entregou a primeira aeronave AW101 à JMSDF em 24 de maio de 2006. Em 2015, a primeira Operação de Balcão de Minas Aéreas equipadas com MCH-101 foi entregue à JMSDF.

No total, o Japão tem 13 AW101, incluindo a variante CH-101, que é usada para apoiar as atividades de pesquisa antártica do Japão. O desenvolvimento da variante AMCM do AW101/MCH-101 tem sido liderado pela KHI, como principal contratante, com Leonardo continuando a fornecer suporte técnico. A primeira aeronave entrou em serviço operacional em 2016.

Sua porta deslizante e a rampa traseira garantem entrada/saída rápida de pessoal e carregamento/descarga de equipamentos. A versatilidade da plataforma AW101 permite que os clientes configurem o helicóptero para uma ampla gama de funções primárias e secundárias. Projetado com aviônicos sofisticados e sistemas de missão, juntamente com longo alcance e resistência, graças à capacidade de usar dois dos três motores para voos de cruzeiro, fornece persistência operacional para todas as missões.

CH-149 (AW101) Cormorant da Força Aérea Real Canadense. Foto: Master Corporal Johanie Maheu/RCAF.

Via Leonardo.