Garuda Indonesia instrui tripulação a não utilizar máscaras para mostrar sorriso e simpatia

A Garuda Indonesia tomou uma decisão controversa esta última semana, anunciando que os comissários de bordo deixarão de usar máscaras.

O diretor executivo da companhia aérea, Irfan Setiaputra, disse que a empresa recebeu várias reclamações de passageiros descontentes. Os passageiros questionaram o fato de não poderem ver as expressões da comissária de bordo enquanto estavam sendo atendidos.

Em uma conferencia virtual na terça-feira (16), o CEO da Garuda, Irfan Setiaputra, anunciou a mudança, dizendo que muitos passageiros se opuseram à tripulação de cabine usando máscaras. Ele acrescentou que o uso de equipamento de proteção individual (EPI) minimizava a interação humana entre passageiros e equipe de voo.

Muitos passageiros da Garuda reclamaram que os comissários de bordo estão usando máscaras porque os passageiros não conseguem ver se os comissários estão sorrindo ou fazendo beicinho.” Disse o CEO da empresa.

Irfan continuou dizendo que voar deveria ser uma experiência agradável e não queria que os passageiros se sentissem como se estivessem em uma unidade de terapia intensiva (UTI).

A ICAO recomendou máscaras faciais como a principal medida para conter a transmissão do COVID-19 durante as viagens. A tripulação da Garuda Indonesia usava máscaras e luvas desde que os vôos domésticos foram retomados em 7 de maio.

Portanto, se as máscaras forem eliminadas, como a tripulação de cabine se protegerá? Irfan disse que a companhia aérea fornecerá gradualmente protetores faciais em vez de máscaras, para que os comissários de bordo ainda estivessem protegidos, mas a interação humana ainda poderia ocorrer. Ele acrescentou que todos a bordo devem se sentir confortáveis, mas seguros.


Segundo a secretária corporativa da Garuda, Mitra Piranti, os comissários de bordo ainda usariam máscaras e luvas por enquanto, e o prazo para a nova política seria anunciado mais tarde. 

Mitra disse ao Jakarta Post na última quarta-feira (17/06): “Avaliamos continuamente a adequação e a segurança do equipamento de proteção para nossas tripulações de voo em termos das normas vigentes de segurança de voo, enquanto procuramos também oferecer um excelente serviço.

Enquanto o uso de máscaras faciais esteja na vanguarda da discussão, as companhias aéreas também tiveram que alterar serviços a bordo, como a forma como os alimentos são servidos e se travesseiros, cobertores e materiais de leitura devem ser fornecidos.

No dia 4 de junho a Garuda Indonesia trocou o seu serviço de bordo para embalagens de alimentos de uso único, que serão usadas até o final do ano. A companhia aérea também removeu materiais de leitura e travesseiros. A empresa está desinfectando profundamente seus aviões e afirmou que substituiu os filtros HEPA em aeronaves que anteriormente serviam rotas de e para a China.

Além disso, as autoridades indonésias também têm vários requisitos para ajudar a tornar o voo mais seguro. Os passageiros devem fornecer um certificado de saúde que declara negativo para o COVID-19 antes da partida. Os requisitos deste certificado de saúde são diferentes com base no aeroporto de destino. 

O documento deve mostrar um resultado negativo de um teste rápido não reativo ou de uma reação em cadeia da polimerase (PCR)/swab. Os passageiros também devem preencher um cartão de alerta de saúde emitido pelo Ministério da Saúde da República da Indonésia.

 

DEIXE UMA RESPOSTA