GOL apresenta os seus resultados do 4T19 e do acumulado do ano

Foto - Divulgação

A GOL Linhas Aéreas anunciou hoje (20) o resultado consolidado do quarto trimestre de 2019 (4T19).

  • A receita líquida atingiu R$3,8 bilhões, a maior já registrada pela Companhia, um crescimento de 18,8% em relação ao 4T18. No ano de 2019, a receita líquida chegou a R$13,9 bilhões, um aumento de 21,5% comparativamente a 2018. A projeção de receita líquida para 2020 é de aproximadamente R$15,4 bilhões.
  • A margem EBITDA alcançou 38,5% no 4T19, aumento de 22,2 p.p. na comparação trimestral. No ano de 2019, a margem EBITDA foi de 31,5%, um crescimento de 11,5 p.p. na comparação anual. A projeção para 2020 para margem EBITDA é da ordem de 30%. 
  • Devido ao forte controle de custos, e gestão da capacidade e yields, a Companhia obteve lucro operacional pelo 14º trimestre consecutivo. A demanda no 4T19 permitiu que a GOL atingisse margem EBIT recorrente de 26,5%, a maior desde 2004. O lucro operacional (EBIT) recorrente foi de R$1.006,3 milhões no trimestre e R$2.645,0 milhões em 2019, R$830,0 milhões e R$1.601,1 milhões superior em relação ao 4T18 e à 2018, respectivamente.
  • A margem líquida ajustada de 9,1% no 4T19 representa um aumento de 20,1 p.p. na comparação trimestral. No ano de 2019, a margem líquida ajustada foi de 4,7%, um crescimento de 12,0 p.p. na comparação anual.
  • A Receita por Passageiro-Quilômetro Transportado (RPK) aumentou 5,5%, totalizando 10,8 bilhões no 4T19, impulsionada pelo crescimento de 8,0% no número de Clientes transportados, enquanto a expansão em Assento Quilometro Ofertado (ASK) foi de 6,0%. 
  • A Companhia transportou aproximadamente 9,7 milhões de Clientes no trimestre, crescimento de 8,0% comparado com o mesmo período do ano anterior, com um market share doméstico de 38%, segundo dados da ANAC. De acordo com a Abracorp, 38% dos passageiros do segmento corporativo viajaram pela GOL, o que faz da empresa a líder em vendas e em bilhetes emitidos nas TMCs associadas à entidade. 
  • R$617,1 milhões de dívida foram amortizados, e R$102,4 milhões de ações foram recompradas no trimestre.

 

Destaques do 4T19

Fortes indicadores operacionais: Passageiros-Quilômetro Transportados (RPK) aumentou 5,5%, totalizando 10,8 bilhões no 4T19, impulsionada pelo crescimento de 8,0% no número de passageiros transportados, enquanto a evolução em Assentos-Quilômetro Oferecidos (ASK) foi de 6,0%. A forte demanda de Clientes e o gerenciamento dinâmico de receitas permitiu à GOL compensar os incrementos nos custos unitários operacionais.

A Companhia atingiu os seguintes indicadores: 

(i)Yield médio por passageiro de 33,17 centavos (R$), um aumento de 13,8% na comparação trimestral; 

(ii)Taxa de ocupação média de 81,5%, uma redução de 0,4 p.p. comparativamente ao 4T18;

(iii) Média de utilização de aeronaves de 12,2 horas/dia, incremento de 6,1% na comparação trimestral; e


(iv) Regularidade de 99,2% no 4T19, aumento de 0,6 p.p. de acordo com a Infraero e dados fornecidos pelos principais aeroportos.

Receita recorde: A receita líquida atingiu R$3,8 bilhões, a maior já registrada pela Companhia, com um crescimento de 18,8% em relação ao 4T18. A GOL transportou 9,7 milhões de Clientes no trimestre, sendo 9,2 milhões no mercado doméstico (+9,5% em relação ao 4T18) e 0,5 milhão no internacional. A Receita Líquida por Assento Quilômetro Ofertado (RASK) foi de 28,69 centavos (R$), aumento de 12,1% em relação ao 4T18. A Receita de Passageiros Líquida por Assento Quilômetro Ofertado (PRASK) passou para 27,04 centavos (R$), um incremento de 13,3% em relação ao 4T18. 

Custos controlados: O custo unitário baseado no Custo por Assento Quilômetro Ofertado (CASK), excluindo despesas não recorrentes, reduziu em 12,8%, passando de 24,19 centavos (R$) no 4T18 para 21,10 centavos (R$) no 4T19, parcialmente impactado pela queda no preço do combustível aeronáutico em aproximadamente 17% e pela redução de 2% do consumo de combustível por hora voada. Custos com combustível por ASK caíram 15,6%, principalmente devido à diminuição nos impostos sobre o querosene de aviação.

O CASK ex-combustível, excluindo despesas não recorrentes, apresentaram um decréscimo de 11,1%, essencialmente por conta de melhor produtividade (eficiência operacional, utilização das aeronaves e aumento no ASK) e pela redução de gastos com manutenção dos aviões em função do menor volume de devoluções no 4T19, em parte compensados por: 

i.Um aumento de 32,6% na depreciação decorrente da inclusão de 16 aeronaves na frota e a redução da vida depreciável de manutenção de motores e de grandes componentes capitalizados; e

ii.Um incremento de 23,8% na despesa com pessoal, principalmente devido a um aumento na alíquota de impostos federais sobre folha de pagamento para 20%, e à contratação e ao treinamento de 819 novos Colaboradores motivado pela expansão das operações, lançamento de rotas e de bases.

 

A GOL tem os menores custos unitários nos seus mercados. 

Margens saudáveis: Devido ao forte controle de custos, gestão responsável da capacidade e administração inteligente dos yields, a Companhia obteve lucro operacional pelo 14o trimestre consecutivo. A demanda no 4T19 permitiu que a GOL atingisse margem EBIT de 26,5%, a maior da Companhia desde 2004. O lucro operacional (EBIT) ajustado foi de R$1.006,3 milhões no trimestre e R$2.645,0 milhões em 2019, R$830,0 milhões e R$1.601,1 milhões superior em relação ao 4T18 e 2018, respectivamente. A margem EBITDA chegou a 38,5% no período, aumento de 22,2 p.p. na comparação trimestral. 

Fortalecimento do balanço: A GOL apresentou geração de caixa operacional levemente superior a R$1,0 bilhão no trimestre. A liquidez total atingiu R$4,3 bilhões, R$238,4 milhões acima em comparação a 30 de setembro de 2019 e R$1,3 bilhão no que se refere a 31 de dezembro de 2018. A GOL efetuou pagamentos de principal de dívidas e arrendamento em um montante de R$617,1 milhões no 4T19. As receitas de variações cambiais e monetárias no trimestre totalizaram R$372,4 milhões. A relação dívida líquida (excluindo os Bônus Perpétuos e Exchangeable Notes) sobre EBITDA UDM foi de 2,4x em 31 de dezembro de 2019. 

Projeções: As projeções para 2020 e 2021 estão na página 15 do release de resultados (www.voegol.com.br/ri).

 

DEIXE UMA RESPOSTA