A GOL Linhas Aéreas já recebeu 7 aviões do modelo 737 MAX, fabricados pela Boeing, e deveria receber outros 17 aviões neste ano, mas o 737 MAX está desde março sem voar, e não há uma clara previsão do seu retorno aos voos comerciais.

A GOL não quer perder tempo, além de planejar terminar o ano com mais aviões em comparação com o previsto anteriormente, a companhia está atrasando a aposentadoria de diversos aviões do modelo 737 NG, a geração anterior.

“Não temos uma atualização contratual por parte da Boeing com relação à programação das entregas, que mostra 17 unidades para receber ainda este ano. Mas sabemos e já estamos preparados para ver a maioria destas aeronaves só chegando mesmo em 2020”, disse o diretor Financeiro da Gol, Richard Lark. “Já estamos trabalhando nestas entregas atrasadas”, completou.

No momento a GOL já adiou a retirada de 3 aviões 737 NG, e arrendou mais 5 aeronaves, todas da falida Jet Airways.

Apesar dos problemas, a GOL permanece com a confiança que as entregas serão normalizadas em 2020, e o Boeing 737 MAX conseguirá cumprir voos comerciais com segurança já no último trimestre deste ano.

“Permanecemos confiantes que o B737 MAX será um elemento vital em nossa frota a longo prazo”, disse o presidente da Gol, Paulo Kakinoff.

A companhia aumentou a quantidade de aeronaves no final de 2019, passando do mínimo de 124 aviões para 125 aviões. Ao mesmo tempo, a GOL espera iniciar 2020 com 127 aeronaves na frota, e terminar o ano com até 136, enquanto a previsão era de terminar com 131.


DEIXE UMA RESPOSTA