GOL
Foto: Gabriel Benevides/Aeroflap

O voo G3 1492, que partiu de Congonhas (CGH) às 12h40 e aterrissou em Bonito (BYO) às 13h40 (horário local) na tarde desta quinta-feira (2/12), representa muito mais do que um voo inaugural sem escalas para o mais novo destino da GOL Linhas Aéreas no Mato Grosso do Sul, a inauguração de um trecho inédito na aviação comercial brasileira e um passo relevante na expansão regional da Companhia: nasce, hoje, a segunda rota 100% carbono neutro do Brasil.

Em foco estão a preservação do espaço aéreo e do ambiente que envolve os aeroportos em questão e o combate às mudanças climáticas que tanto ameaçam a vida na Terra – um alinhamento da GOL, Companhia cada vez mais empenhada em se tornar uma referência em aviação sustentável no País, com o turismo responsável legitimado em Bonito, paraíso do ecoturismo e de belezas naturais e polo gerador de riquezas no Mato Grosso do Sul.

GOL

Em mais uma parceria da GOL com a climatech MOSS, uma das maiores plataformas ambientais de créditos de carbono do mundo, ambas as empresas doam a todos os Clientes e à tripulação presentes nos voos da rota Congonhas-Bonito-Congonhas a compensação individual da pegada carbônica deixada pelas viagens, neutralizando as emissões totais de carbono nos dois trechos – com direito a certificado. A primeira rota 100% carbono neutro no Brasil nasceu em 1º setembro deste ano, Recife-Fernando de Noronha-Recife, também uma parceria GOL e MOSS.

O voo inaugural Congonhas-Bonito contou com a presença dos executivos Eduardo Rodrigo Calderon, diretor de Controle Operacional e Engenharia, e Ciro Andrade Camargo, gerente de Relações Institucionais, ambos da GOL, além de imprensa convidada. Speeches especiais foram proferidos pelos representantes da Companhia tanto na sala de embarque, onde aconteceu o corte da faixa, quanto a bordo. Entre os dizeres: “Este voo faz parte da nossa campanha #MeuVooCompensa. Em parceria com a MOSS, o valor da neutralização em reais será destinado a projetos de conservação da Floresta Amazônica”.

Dentro da aeronave, os Clientes receberam a edição mais recente da revista GOL, embalada individualmente com um sachê de álcool em gel da marca Giovanna Baby, e um nécessaire oferecido pela Phytoervas e customizado pela artista plástica indígena Beni Kadiwéu, do Mato Grosso do Sul, com uma seleção de produtos ecologicamente responsáveis para os cuidados pessoais. No desembarque, todos ganharam o certificado de compensação de carbono do voo G3 1492 impresso em papel semente – um estímulo ao plantio. Foi abolido o tradicional batismo da aeronave em seu pouso primordial no destino, em prol da preservação dos recursos hídricos.

Nunca houve voos regulares comerciais entre São Paulo e Bonito, o que é agora realidade. São duas frequências semanais de ida e volta, sem escalas, às quintas e aos domingos. Em Congonhas (CGH), a decolagem acontece às 12h40, e a aterrissagem no Aeroporto Regional de Bonito (BYO), às 13h40. A saída do novo destino (voo G3 1493) se dá às 14h20, com pouso na capital paulista às 17h15.

Não por acaso o aeroporto de Congonhas foi escolhido: a malha aérea da Companhia proporciona aos Clientes de outros destinos nacionais rápidas conexões no aeroporto central paulistano para chegarem a Bonito, abrindo novas oportunidades aos turistas de todo o País que desejam apreciar seus atrativos. Os voos são operados com o jato Boeing 737-700, com capacidade para 138 passageiros.

Via: GOL Linhas Aéreas Inteligentes

DEIXE UMA RESPOSTA