A GOL Linhas Aéreas já está se preparando para expandir as operações do seu Centro de Manutenção, localizado em Confins (MG).

A companhia iniciou uma série de testes administrativos com aeronaves da sua própria frota, até o momento três aviões da GOL entraram nos hangares de Confins sendo identificados como uma aeronave de outra companhia. 

Calma, isso não significa que essas aeronaves foram repassadas para outra companhia, é só um esquema administrativo para conseguir testar como é o fluxo de manutenção em uma aeronave que não faz parte da frota da GOL.

A companhia vai continuar com esses testes durante todo esse ano, de acordo com Carlos Alberto Costa, diretor de manutenção da GOL.

Com isso a companhia conseguirá treinar seus funcionários e adequar o seu sistema para começar a receber aviões de outras companhias, algo que está planejado para acontecer a partir de 2020.

De acordo com Carlos, a companhia vai disponibilizar 100 mil horas de mão-de-obra por ano, para os clientes que desejarem fazer a manutenção com a GOL. Essa também será a capacidade inicial, que será expandida futuramente.

Hangar de pintura de aeronaves, atende somente aviões narrowbody.

O Centro de Manutenção da GOL em Confins é uma instalação composta por três hangares, sendo um de pintura. A capacidade do local é de cinco aviões em regime de manutenção, e um na pintura.

A GOL tem licença para realizar a manutenção de aviões Boeing 737 Classic/NG/MAX. Carlos Alberto diz que a companhia tem em seu planejamento expandir os serviços para a manutenção de aviões grande, como o 787 e 777, mas somente para atender terceiros a partir de 2022.

A decisão da GOL de realizar a manutenção de aviões de outras companhias pode afetar financeiramente o caixa da empresa, que agora conseguirá outra vertente de faturamento e lucro.