Governadores dos estados do Nordeste pedem que os voos internacionais sejam suspensos

Foto: KLM

Os governadores dos estados, de Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe querem a suspensão dos voos internacionais com destino as cidades do nordeste. 

Para tentar impedir a realização dos voos, os governadores formalizaram um pedido ao ministro da saúde, Eduardo Pazuello, que suspenda os voos internacionais. A medida visa proteger a população de uma possível contaminação de onde alguns países já apresentam sinais da segunda onda da Covid-19.

Em um oficio divulgado hoje (23/12), os governadores sugeriram que o Governo Federal implemente a quarentena para todos os passageiros que vierem da Europa. Além disso foi pedido que todos os passageiros façam exames de RT-PCR para garantir o resultado negativo para a Covid-19.

A preocupação com a nova variante da Covid-19 que foi identificada no Reino Unido. 

“É com profunda preocupação que os governadores do Nordeste do Brasil recebemos a notícia de mutação do vírus causador da Covid-19 e da possibilidade que suas variantes sejam mais contagiosas e mais letais“, em carta assinada pelo governador Wellington Dias (PT-PI), presidente do grupo que representa os governadores do Nordeste.

Conforme relatado, o governo passará a exigir teste com resultado negativo para a Covid-19 para entrar no Brasil.  A nova exigência entrará em vigor no dia 30 de dezembro, e será valido para Rodovias, Portos e Aeroportos para qualquer estrangeiro de qualquer nacionalidade.

Ainda não houve uma resposta oficial sobre o pedido dos governadores para suspender os voos internacionais. 


Todos os passageiros vindos do Reino Unido seguem protocolos emergenciais com monitoramento mais intensivo e rastreio de possíveis contatos dos passageiros e de tripulantes ao chegarem no Brasil.

“A ação articulada com os fiscais sanitários de portos, aeroportos e com a comunicação dos passageiros e tripulantes oriundos do Reino Unido, a Rede Nacional de Vigilância, Alerta e Resposta às Emergências em Saúde (Rede Cievs) atuará em contato com as vigilâncias locais para monitorar as condições de saúde e direcioná-los junto à atenção à saúde, bem como à vigilância sanitária, para adoção de medidas de prevenção e controle da Covid-19”,disse o Ministério da Saúde.

 

Fonte: Correio do Povo

DEIXE UMA RESPOSTA