Governo de Portugal faz acordo e eleva participação na TAP para 72,5%

(Reuters) – O governo português anunciou nesta quinta-feira que selou acordo final com acionistas privados da companhia aérea TAP com o Estado passando a deter participação de controle sem renacionalizar a empresa.

O ministro das Finanças, João Leão, disse que o Estado aumentará sua participação na TAP de 50% para 72,5%.
 

“De forma a evitar o colapso da empresa, o Estado optou por chegar a acordo com os acionistas privados para comprar parte da participação deles e ficar com 72,5% da TAP, conseguindo o controle”, disse Leão, a jornalistas.

A aquisição dos 22,5% custou 55 milhões de euros (ME), afirmou o ministro.

O ministro das Infraestruturas Pedro Nuno Santos disse: “felizmente evitamos assim a nacionalização total da TAP”.

Anteriormente o consórcio Atlantic Gateway tinha 45% da TAP, este é composto de uma participação acionária majoritária de David Neeleman, com a presença do empresário português Humberto Pedrosa, e uma participação direta da Azul de 5% na TAP, através deste consórcio.

O Governo de Portugal tinha até então o controle de 50% da companhia, e os funcionários cerca de 5%.

“A razão da rutura do Governo prendem-se com o fato de Neeleman não aceitar as condições impostas pelo Poder Executivo para financiar a empresa em 1,2 bilhão de euros”, escreveu o DN-Lisboa.


Como informado antes, o auxílio negociado era no valor de 1,2 bilhão de euros, de acordo com postagens anteriores do Portal Aeroflap. Além disso, várias condições agressivas foram impostas pelo Governo de Portugal, como o pagamento da dívida em 6 meses.

 

DEIXE UMA RESPOSTA