Governo dos EUA pode liberar novo pacote de ajuda para aéreas, e evitar demissões

737 MAX 8 American Airlines (Foto: Boeing)

Recentemente Trump afirmou que poderia aprovar um novo pacote de ajuda para as aéreas, como forma de evitar demissões após outubro.

E nesta semana começou uma movimentação no Congresso dos EUA para aprovar uma nova ajuda para as companhias aéreas, como forma de evitar uma demissão em massa. Essa nova ajuda foi apresentada por dois senadores republicanos, e totalizam um novo fundo de US$ 28,8 bilhões, para pagar salários de funcionários.

“O mercado não mudou tanto quanto esperávamos e um alívio adicional é necessário para evitar que mais de 60.000 funcionários do setor de aviação percam seus empregos a partir de 1º de outubro”, disse o senador republicano Roger Wicker.

Ele apresentou o projeto de lei com a senadora republicana Susan Collins no dia 21 de setembro. No entanto, para o pacote ser aprovado, o mesmo precisa passar pela Câmara dos Deputados, e também pela aprovação do Senado. Depois o pacote segue para sanção presidencial.

O pacote de auxílio deve apoiar o pagamento de salários de quase 60 mil pessoas até março de 2021, de acordo com os senadores, período suficiente para a recuperação das aéreas. As companhias, por sua vez, podem ser proibidas de demitir sem justa causa, ou reduzir salários, até 31 de março de 2021.

O novo projeto também permite que o governo detenha participações em companhias aéreas em troca de ajuda financeira. Uma redução de altos salários também está listada no novo projeto.

A lei anterior disponibilizou US$ 58 bilhões para as companhias aéreas, incluindo US$ 29,3 bilhões reservados para funcionários das companhias aéreas, o “Programa de Apoio à Folha de Pagamento”.


Duas aéreas dos EUA, a American Airlines e a United, já ameaçaram demitir milhares de pessoas, caso um novo pacote de ajuda não fosse aprovado até outubro.

 

DEIXE UMA RESPOSTA