Foto - Embraer

Durante uma entrevista nesta segunda-feira, após a solenidade de posse de novos presidentes dos bancos estatais, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general da reserva Augusto Heleno, disse que o governo não planeja interferir nas negociações entre as duas empresas.

Apesar disso Heleno ressalta que o governo vai estudar os termos, de forma que obtenha “o melhor possível para o país”.

“Não, não está se pensando em interromper essa negociação não”, disse Heleno.

Isso reforça a preocupação demonstrada por Bolsonaro na última sexta. O novo acordo permite que futuramente a Boeing compre os outros 20% de ações da Embraer na Joint-Venture de aviação comercial.

Sobre isso Heleno disse: “hoje mesmo foi colocada a necessidade de se estudar se essa forma é a ideal ou se vamos pleitear outro tipo de sugestão”.

“Seria muito bom essa fusão… mas é uma preocupação nossa daqui cinco anos tudo ser repassado para o outro lado. É um patrimônio nosso”, disse Bolsonaro, em breve entrevista a jornalistas durante um evento na Base Aérea de Brasília, na sexta-feira.