Um para de caças Typhoon FGR.4 da RAF armados com bombas Paveway IV, mísseis ar-solo Brimstone e mísseis ar-ar AMRAM e ASRAAM. Foto: RAF/Coroa Britânica.

O Governo da Grécia está considerando a aquisição de 30 caças Eurofighter Typhoon usados que serão aposentados pela Força Aérea Real Britânica (RAF) em 2025, afirmou o Ministro da Defesa do país, Nikos Panagiotopoulos. 

Ao ser questionado por Kyriakos Velopoulos, presidente do partido conservador Ellinikí Lýsi, Panagiotopoulos disse que “todas as opções possíveis estão sendo consideradas para encontrar a solução mais adequada, a fim de atualizar ainda mais as capacidades operacionais da Força Aérea.”

No dia 11 de setembro, o Primeiro Ministro da Grécia, Kyriakos Mitsotakis, anunciou a aquisição de mais seis caças Dassault Rafale F3R para a Força Aérea Helênica (HAF), concorrente direto do Typhoon. Atenas e Paris já haviam oficializado a compra de 18 Rafales em janeiro, com o primeiro caça sendo entregue ao país em julho.

O primeiro Rafale grego, entregue ao cliente no dia 21 de julho. Foto: Dassault.

Segundo o Aerotime Hub, a aposentadoria dos 30 Typhoons da RAF representa uma oportunidade para a HAF aposentar seus antigos caças F-4E Phantom II, adquiridos na década de 1970 no âmbito dos programas Peace Icarus. De acordo com a Flightglobal, a HAF ainda possui 33 Phantoms ativos. 

As aeronaves foram modernizadas para o padrão AUP, recebendo uma série de itens novos como o radar multimodo AN/APG-66, HUD, displays multifuncionais coloridos, sistema de navegação inercial e GPS, compatibilidade com o míssil AIM-120 AMRAAM guiado por radar ativo e integração com o pod LITENING para identificação de alvos e pontaria de bombas.

Em março, o Ministério da Defesa Britânico anunciou que a RAF aposentará 30 caças Typhoon Tranche 1 em 2025, algo que gerou polêmica pois as aeronaves terão cerca de 2544 horas de voo, menos da metade da vida útil total de 6000 horas.

Foto: Eurofighter

A variante Tranche 1 é a mais velha, sendo a primeira recebida pela RAF. Os Typhoons Tranche 1 possuem limitações no uso de mísseis ar-ar e tem capacidades de emprego ar-solo muito limitadas, sem uso de um pod.

O Governo decidiu aposentar as aeronaves que já se encontram na reserva operacional. Como os Tranche 1 possuem computadores, hardwares, componentes e cabeamentos antigos, o custo da modernização seria muito alto. Apenas as aeronaves Tranche 2 e 3 serão atualizadas. 

DEIXE UMA RESPOSTA