Dassault/Divulgação.

O Primeiro Ministro da Grécia, Kyriakos Mitsotakis, anunciou no sábado (11) a intenção de aumentar de 18 para 24 o número de caças franceses Dassault Rafale F3R adquiridos por seu país. O anúncio se deu em seu discurso na abertura da 85ª Feira Internacional de Tessalônica. 

A intenção foi confirmada pela Ministra da Defesa da França, Florence Parly, que comemorou a decisão no Twitter neste domingo (12). “Juntos, avançamos na construção de uma verdadeira autonomia europeia.”

Ainda em abril deste ano surgiram boatos de que a Grécia poderia vir a aumentar seu pedido de Rafales, com mais seis caças. Agora, os boatos se confirmam com as palavras de Mitsotakis. “Afinal, aqui anunciei a compra de 18 Rafales, que em breve se tornarão 24. O primeiro deles voará nos céus gregos antes do final do ano”, disse o Ministro.

França e Grécia oficializaram a compra de 18 Rafales em janeiro, dos quais seis serão novos de fábrica e 12 virão do inventário da Força Aeroespacial Francesa. O primeiro caça, um Rafale DG de dois assentos, foi entregue à Grécia em 21 de julho em uma solenidade realizada no Centro de Testes de Voo da Dassault Aviation em Istres, no sul da França, com a presença do CEO da fabricante, Eric Trappier, junto do Ministro da Defesa Nacional da Grécia, Nikolaos Panagiotopoulos.

 

A Força Aérea Helênica (HAF) deve receber mais cinco Rafales ainda em 2021. A partir do próximo ano, os jatos entrarão em serviço com o 332nd All Weather Squadron da 114th Combat Wing da HAF. A unidade, que tem como sede a Base Aérea de Tanagra, atualmente opera os caças Dassault Mirage 2000EGM/BGM.

O primeiro Rafale grego, entregue ao cliente no dia 21 de julho. Foto: Dassault.

O anúncio grego é mais uma conquista comercial para o caça delta-canard francês. Em maio, foi revelado que o Egito estava em negociações com a França para a aquisição de mais de 30 Rafales. Meses depois, a Croácia confirmou a compra de 12 unidades, também usadas, para substituir seus antigos MiG-21 Fishbed. 

O Dassault Rafale é um caça bimotor multimissão, atualmente em serviço com a Índia, Catar, Egito e a própria França. O jato é equipado com um par de motores Snecma M88 e possui 14 estações (13 para a versão naval Rafale M) para carregar uma grande gama de armamentos e sensores, tais como as bombas AASM e Paveway, mísseis ar-ar MICA IR/EM  e Meteor, o míssil antinavio AM-39 Exocet e o míssil nuclear de cruzeiro ASMP-A. Internamente, a aeronave possui um canhão de 30mm GIAT 30, apenas disponível os aviões monoposto. 

Dassault/Divulgação.

Seu principal sensor é o radar de varredura eletrônica ativa (AESA) RBE2-AA, desenvolvido e fabricado pela Thales. A partir do novo padrão Rafale F4, os pilotos farão uso do capacete com display e mira integrados Scorpion, também feito pela Thales. 

DEIXE UMA RESPOSTA