A GRU Airport, concessionária que administra o Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, está com oportunidade de investimento logístico em um dos maiores terminais de cargas do Brasil.

A concessionária busca investidores interessados na construção e comercialização de galpões no Terminal de Cargas (Teca).

As empresas selecionadas poderão ocupar uma área de 65 mil m², dividida em quatro partes, com oportunidades de negócio para armazéns de carga dentro da zona primária do aeroporto e com acesso direto ao pátio de aeronaves.

Os interessados nesse processo podem ter mais detalhes acessando o site da GRU Airport.

O Terminal de Cargas do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, administrado pela GRU Airport, é o maior complexo aeroportuário do Brasil sendo coberto por uma área de 99 mil m².

Mesmo diante de um cenário extremamente desafiador, movimentou em 2020 cerca de 208 mil toneladas entre importação e exportação. O crescimento de 29% no número de cargueiros foi essencial para esta marca. 

Entre os itens mais transportados nesse período estão fármacos, partes e peças automotivas, têxtil, alimentos, maquinários, peças aeronáuticas e devido a sua malha aérea e conectividade, o aeroporto também vem se destacando na distribuição do comércio eletrônico.

O terminal, foi a principal porta de entrada para cargas farmacêuticas no Brasil, especialmente aquelas dedicadas ao combate da pandemia de COVID-19, resultando no aumento de 6 pontos percentuais no Market share do segmento que partiu de 50% em 2019 para 56% no período de janeiro a novembro de 2020. Além disso, a localização na região metropolitana de Guarulhos favorece o acesso a importantes rodovias que ligam o aeroporto a todo o país, e a oferta de voos diários, garante maior eficiência e agilidade no transporte das cargas.

O Complexo logístico, que já possui a certificação CEIV Pharma (Center of Excellence for Independent Validators) da IATA, está atuando para obter, em 2021, as certificações OEA (Operador Econômico Autorizado) da Receita Federal e CBPDA (Certificado de Boas Práticas de Distribuição e Armazenagem) da ANVISA, que confirmarão os altos índices de segurança e boas práticas no manuseio de produtos farmacêuticos no terminal.