Itapemirim

Na noite desta quarta-feira (14/10) a empresária Camila de Souza, ex-responsável pelo Grupo Itapemirim, esclareceu que não reassumiu o comando do grupo, via ação judicial.

Além disso, a Itapemirim esclareceu ao site Diário do Transporte que os planos para o Grupo Itapemirim continuam, e confirmou a versão afirmada pela Camila ao mesmo site.

“Esclareço que não existe qualquer decisão judicial que determine a transferência do controle do Grupo Itapemirim para mim. Também desminto qualquer informação acerca de fechamento da empresa aérea que está sendo criada”, disse Camila por meio de nota ao site Diário do Transporte.

“Venho através desta nota esclarecer que não existe nenhuma determinação judicial no sentido de retorno da ex-sócia ao grupo , devendo ser considerado tal noticia como ‘fake news”, disse a diretora jurídica do Grupo Itapemirim, Karina de Oliveira Guimarães Mendonça.

Em uma consulta do Portal Aeroflap com pessoas que estão envolvidas no processo de elaboração da empresa, os atuais administradores Tiago Senna e Sidnei Piva disseram que a companhia será criada, e o processo seletivo continua aberto (clique aqui para conferir).

Prezando pela informação verdadeira, o site Aeroflap solicitou uma nota oficial ao Grupo Itapemirim, que está disponível abaixo:

“O Grupo Itapemirim informa que não existe qualquer decisão judicial sobre mudança no atual quadro diretivo da empresa, estabelecido em março de 2020, quando Sidnei Piva, presidente executivo, comprou a parte de sua ex-sócia. A Itapemirim Transportes Aéreos LTDA, cadastrada sob o CPNJ 02.907.387/0001-90, tem como único representante legal Sidnei Piva, na figura de sócio administrador, sendo a única pessoa capaz de decidir sobre o futuro da companhia. A empresa reforça, portanto, que a ITA Transportes Aéreos tem operação totalmente regular e saudável, e os planos para início de operação no setor de aviação se mantêm. O Grupo Itapemirim está trabalhando para apuração de qualquer possível fraude cometida.”

A Itapemirim promete começar as suas operações com 10 aviões Airbus A320ceo, sendo que todos entram na frota já com passagem por outras companhias aéreas. Os três primeiros devem ser entregues ainda neste ano para a empresa, e o primeiro ainda em outubro.

A Itapemirim também comprou as operações da América do Sul Taxi Aéreo, para facilitar conseguir as certificações da ANAC para operar voos regulares.

 

DEIXE UMA RESPOSTA