LATAM
Foto - Divulgação

Em um contexto de fortes restrições de viagem e de uma retração da demanda superior ao previsto com a COVID-19, o Grupo LATAM Airlines encerrou o primeiro trimestre do ano com US$ 2,6 bilhões de liquidez (US$ 1,3 bilhão de caixa disponível e US$ 1,3 bilhão em linha de financiamento DIP), como resultado dos seus esforços por mais eficiência e para reduzir custos. Neste período, o grupo conseguiu diminuir as suas despesas em 43,8%.

“Após um ano de pandemia e com um processo de vacinação em andamento, a profundidade da crise persiste. Acreditamos que tomamos as decisões corretas para dar continuidade ao grupo e já estamos percebendo isso. Fechamos um primeiro trimestre muito difícil com níveis saudáveis ​​de liquidez e uma redução significativa de custos. O chamado que temos é o de continuarmos trabalhando como temos feito até agora, porque o impacto da pandemia ainda não acabou”, afirma Roberto Alvo, CEO do Grupo LATAM Airlines.

No primeiro trimestre do ano, a receita total chegou a US$ 913,2 milhões, uma redução de 61,2% em relação ao mesmo período de 2020 e que foi parcialmente compensada por um aumento de 36,8% na receita com cargas.

No trimestre, o grupo anunciou a conversão de até oito aeronaves Boeing 767-300 de passageiros em cargueiros nos próximos três anos, o que permitirá aumentar a sua capacidade de cargas em até 80%.

No primeiro trimestre, a LATAM teve prejuízo de US$ 355,7 milhões na receita operacional.

Vale ressaltar ainda que o grupo acaba de lançar a sua Estratégia de Sustentabilidade “Um Destino Necessário”, em que assume compromissos com a América do Sul, por meio da colaboração e do diálogo, para contribuir pelos próximos 30 anos com a conservação de seus ecossistemas icônicos e ameaçados.