Air Índia Vacina Covid-19 pilotos
Boeing 747-400 com o Primeiro-Ministro Narendra Modi, decolando de Brasília após o encontro do BRICS em 2019

A partir de hoje (27), a Air Índia passa a ser totalmente controlada e administrada pelo Grupo Tata. O conglomerado arrematou a empresa em outubro do ano passado, a Tata Sons também fundou a companhia aérea em 1932.

A Tata Sons superou a oferta da Spicejet que era de INR151 bilhões, contra INR180 bilhões oferecidos pela Tata. Recentemente o grupo realizou um empréstimo de US$ 3,02 bilhões para poder financiar as operações da Air Índia.

O presidente do Grupo Tata, Natarajan Chandrasekaran, foi visto no edifício Airlines House onde foi recebido pelo presidente da Air India Vikram Dev Dutt. O repasse da gestão foi realizado formalmente na manhã desta quinta-feira (27) entre os executivos.

Continua depois do anúncio

Natarajan Chandrasekaran também se encontrou com o primeiro-ministro indiano Narendra Modi antes da oficialização. O novo controlador da empresa de bandeira da Índia disse que está em constante trabalho para reformular a empresa e devolver seus melhores dias para a companhia que leva o nome do país.

Continua depois do anúncio

O Grupo Tata também detém participações em outras companhias aéreas como a joint venture entre a Vistara e a Singapore Airlines, no qual possui 51% de participação na Vistara.

Com a reestruturação da principal empresa aérea do país, o setor aéreo indiano tem tudo para ter um ano de 2022 ainda mais forte. Está surgindo uma nova companhia aérea de baixo custo no país, a Akaza Airlines deverá iniciar suas operações ainda neste ano operando aeronaves Boeing 737 MAX.

A Índia também deverá ganhar duas novas rotas internacionais da Hans Airways e da Flypop. 

Continua depois do anúncio

 

Fonte: Aerotime