F/A-18 Noruega OTAN Ucrânia usmc eua
Caças F/A-18C/D Hornet dos Fuzileiros na Noruega. Foto: Lance Cpl. Adam Henke/USMC.

Em face à guerra travada entre Rússia e Ucrânia, a OTAN segue reforçando sua posição defensiva no Leste Europeu. A aliança militar está recebendo mais reforços dos EUA, na forma de 10 caças F/A-18C/D Hornet dos Fuzileiros Navais (USMC). 

Na terça-feira (29), o secretário de imprensa do Pentágono, Almirante John Kirby, revelou que um grupo de 200 Fuzileiros que estavam participando do Exercício Cold Response, na Noruega, foram remanejados para a Lituânia. 

“Então, posso dizer que uma unidade de comando e controle do Grupo de Controle Aéreo Marítimo 28, com sede em Cherry Point, foi reposicionada na Lituânia. São cerca de 200 pessoas”, disse Kirby ao responder um repórter sobre as tropas na Europa. 

Foto: Lance Cpl. Adam Henke/USMC.

Somados ao grupo de militares na Lituânia, outros 10 aviões de caça F/A-18 Hornet e um número não identificado de cargueiros C-130 Hercules foram deslocados para o Leste Europeu. 

“E cerca de 10 F-18 Hornet do Corpo de Fuzileiros Navais de Beaufort, Carolina do Sul e alguns C-130 agora serão reposicionados na Europa Oriental. Não tenho um destino exato agora. Mas eles serão reposicionados e são mais 200 militares. Então, quero dizer, estamos tentando ser flexíveis aqui”, disse Kirby sem revelar para onde os aviões irão. 

O anuncio de Kirby sobre os Hornets dos Fuzileiros ocorre um dia depois de ele ter informado que seis jatos de guerra eletrônica EA-18 da Marinha foram enviados para a Alemanha.

Foto: Lance Cpl. Adam Henke/USMC.

Segundo o portal The Aviationist, os caças pertencem aos esquadrões VMFA-312 Checkerboards, VMFA-115 Silver Eagles e VMFA(AW)-224 Fighting Bengals. As aeronaves estavam desdobradas na estação aérea de Bodo, no norte da Noruega, de onde participavam de exercícios militares. 

A base aérea de fuzileiros em Beaufort ainda possui quatro esquadrões equipados com os Hornet Legacy. As unidades são todas “compostas”, empregando caças de um e dois assentos. 

Apesar de estarem sendo substituídos pelos F-35B/C mais modernos, o USMC selecionou 84 F/A-18 para serem atualizados e capazes de atingir até 10.000 horas de voo, permanecendo em serviço até 2030. 

Foto: Lance Cpl. Adam Henke/USMC.

Apesar de veteranos, os caças poderão ter um um desempenho muito bom em muitas missões, incluindo o papel de suporte aéreo aproximado aos fuzileiros navais que operam no solo. Isso graças a vários aprimoramentos de aviônica e guerra eletrônica, que incluem um novo RWR (Sensor de Alerta Radar), um sistema de interferência eletrônica de autoproteção, radar de varredura eletrônica ativa (AESA) e compatibilidade com novos armamentos como os mísseis ar-ar AIM-120D AMRAAM e AIM-9X Sidewinder e o foguete de precisão APKWS.