O CEO da Gulf Air, Krešimir Kučko, optou por cancelar a encomenda para a aeronave Airbus A220-100, anteriormente Bombardier CS100.

A companhia tinha 10 unidades do CS100 encomendadas, em um contrato que estava em vigor antes mesmo da Airbus assumir o comando do projeto.

De acordo com o CEO, o motivo do cancelamento foi uma mudança do plano de frota da companhia, abandonando a filosofia das aeronaves regionais, algo que já tinha realizado entre 2012 a 2013 ao deixar de operar com os Embraer E-Jets.

O foco da Gulf Air agora será somente em aviões maiores que o A320neo, que possibilitem fazer voos de alta demanda, tornando também o Aeroporto Internacional do Bahrein um hub para seus voos, para isso a companhia planeja até aderir a uma aliança.