A Gulfstream lançou ontem, 21 de outubro, o seu mais novo jato executivo G700, com capacidade para 19 passageiros e que utiliza motores Rolls-Royce Pearl 700, e com especificações que se alinham ao Bombardier Global 7500

A primeira aeronave deve ser entregue em 2022, e promete ter um excelente desempenho, como velocidade de cruzeiro Mach 0.9 e alcance de 13900 km.

A Gulfstream também ressalta que está investindo em uma cabine ainda maior em comparação com o jato da concorrente, o Global 7500. A aeronave, no entanto, será compatível com a classificação de tipo e tecnologias do G500 e G600, aviões lançados recentemente pela Gulfstream.

“Vamos pegar a tecnologia dos 500 e 600 e transformá-los em aeronaves muito maiores. Isso realmente vai nos diferenciar”, diz o presidente da Gulfstream, Mark Burns.

“Nossos clientes, neste momento, não estão pedindo mais alcance … mas querem mais espaço”, acrescenta o vice-presidente sênior de vendas mundiais da Gulfstream, Scott Neal.

A gama do G700 corresponderá à do G650ER. Mas o G700 será maior, com quase 33,5 m de comprimento, cerca de 3 metros mais longo que o G650ER e cerca de 0,3 metros mais curto que o Global 7500, de acordo com as especificações da Gulfstream e da Bombardier.

A cabine do G700, excluindo o compartimento de bagagem, terá 17,4m de comprimento e 2,5m de largura, enquanto a cabine do Global 7500 tem 16,6m de comprimento e 2,4m de largura. A cabine do G700 terá 1,9 m de altura – uma fração a mais que a cabine do 7500, de acordo com as especificações dos fabricantes.

O G700 terá cinco áreas de cabine, ou quatro mais uma área de descanso da tripulação. 

A altitude da cabine será de 4850 pés na altitude máxima de cruzeiro de 51000 pés, o que equivale quase a altitude de algumas cidades, como Brasília, e o G700 terá um peso máximo de decolagem de 48800 kg.

Os turbofans Pearl 700 do G700 são projetados especificamente para a aeronave e compartilham o núcleo comum da família de motores Pearl, disse a Gulfstream. É esperado um consumo até 3% menor de combustível, em comparação com o mesmo motor do G650ER.

Ele será capaz de decolar de uma pista de 1905 metros com peso máximo de decolagem, e de pousar em 762 metros com um peso típico de aterrissagem.

Destaque nos aviônicos para o sistema Primus Epic da Honeywell, integrado à telas sensíveis ao toque, um sistema Full-Fly-By-Wire e à sidesticks com feedback de comando. A automação permite que o avião esteja pronto para iniciar o voo, e com motores ligados, em apenas 10 minutos de trabalho de um piloto.

 

Via – FlightGlobal

DEIXE UMA RESPOSTA