Airbus A320neo Lufthansa
Airbus A320neo da Lufthansa. Foto - Lufthansa

Confesso, tivemos que voltar no tempo aqui na timeline da Aeroflap. No dia 20 de janeiro de 2016 publicávamos sobre a primeira entrega do Airbus A320neo, que não foi tão tranquila assim.

Naquela época, que a aviação estava sofrendo uma grande transformação, para um mundo mais silencioso. Os aviões narrowbody, os mais utilizados pelas companhias aéreas, estavam aos poucos entrando em uma nova geração.

A Rússia começava a fabricar o MC-21, sua aposta contra a Boeing e a Airbus. Poucos meses antes da COMAC apresentou o C919, que até o momento não vingou, e a Boeing apostava em uma certificação rápida do MAX, e nós sabemos o resultado de toda essa pressa da norte-americana.

Por outro lado a Airbus dava um ponta-pé para um mundo novo, sem antes ter vários contratempos.

A primeira entrega do Airbus A320neo foi agendada para ser realizada à Qatar Airways. Cerca de um mês antes da primeira entrega original.

No entanto, a companhia árabe recusou receber o novíssimo avião para a sua frota. A justificativa ficou bastante clara dias depois do evento marcado pela Airbus, programado para dezembro de 2015.

A320neo na Qatar virou promessa, e depois foi convertido em encomendas para o A321neo/LR. A Airbus precisou direcionar as aeronaves já produzidas para outras companhias.

A Qatar descobriu que seu novo avião tinha features problemas nos motores. Essa foi a primeira série de problemas de fabricação que a Pratt & Whitney enfrentou com os motores Pure Power, antes tão reconhecidos pela grande economia de combustível.


Não vou me estender pelos problemas do Pure Power, já devidamente resolvidos. No entanto posso recomendar que você pesquise por “Pratt & Whitney” aqui na Aeroflap, para descobrir toda a lista de problemas que o motor já enfrentou, seja no Airbus A320neo ou em qualquer outra aeronave.

 

Trocando a história

A Airbus então correu, e a segunda companhia que deveria receber a aeronave era justamente a Lufthansa. A aérea alemã aceitou tranquilamente receber o novo avião, porém com algumas compensações.

Na época o motor Pure Power exigia um procedimento complexo para então ser utilizado. E limitava as operações da companhia.

Airbus A320neo

Apesar do processo normal de aceitação da nova aeronave, a Lufthansa no mínimo teve um contrato diferenciado com a Airbus. Desde 2016 ela está aceitando todos os novos aviões na sua frota, e avalia encomendar ainda mais.

O primeiro avião, de matrícula D-AINA, foi oficialmente entregue no dia 20 de janeiro de 2016. Dois dias depois o avião chegava na principal base da Lufthansa, Frankfurt, na Alemanha, e entrava em operação no mês seguinte, após um extenso planejamento de treinamento dos pilotos.

 

O Recordista

Azul
A Azul abandonou seu plano de “padronização” de jatos domésticos com o E-Jet para escolher aviões da família A320neo.

Nesses cinco anos de produção a família A320neo está quebrando recordes.

A Airbus já lançou duas versões de longo alcance do A321neo, antes impensáveis em existir no futuro. Além disso, a produção está cada vez maior, e cerca de 1617 aviões da família A320neo já foram produzidos neste curto espaço de tempo.

Esta família de aeronaves já é um sucesso, com cerca de 60% do segmento de 150 a 240 assentos, bastante à frente em números na comparação com o 2º colocado, o 737 MAX, que tem quase 40% do mercado.

 

DEIXE UMA RESPOSTA