Mitsubishi MRJ SpaceJet
Foto: Mitsubishi/Divulgação

O MRJ, da Mitsubishi, realizada em 11 de novembro de 2015 o seu primeiro voo, há praticamente 6 anos. Prometendo concorrer com a Embraer e a Bombardier na época, o projeto já acumula um grande atraso, e não tem prazo para começar a concorrer com a empresa brasileira.

Confira um pouco do primeiro voo no vídeo abaixo:

Em seis anos, e desde o primeiro voo do atual SpaceJet (conhecido antes como MRJ) o setor de aviação regional registrou várias mudanças.

A Bombardier se retirou do mercado de aviação regional, vendendo os programas Dash 8 e CRJ, aeronaves que tiveram a sua produção interrompida pelas empresas que compraram o projeto.

Embraer E-Jet
E190-E2- Foto/Divulgação: Embraer

A Embraer fez seu primeiro voo dos novos E-Jets E2, e certificou até o momento o E190-E2 e o E195-E2. Este modelo já está operando voos por várias companhias aéreas, com produção sendo realizada em série.

 

Veja: Bombardier processa Mitsubishi por roubar segredos comerciais no MRJ

 

A China ameaçou entrar no mercado com o ARJ-21, mas o avião desatualizado só faz um ligeiro sucesso no seu próprio país.

E a Mitsubishi por fim paralisou a certificação, e também os voos de testes como SpaceJet (antes MRJ), após ser afetada com um grande impacto financeiro devido à pandemia.

 

O Projeto do MRJ – SpaceJet

Detalhes internos do MRJ

Apresentado em 2007, e com primeiro avião concluído em 2014. O MRJ é um projeto da Mitsubishi para entrar no setor de aviação regional com foco principalmente no mercado asiático.

Na época do lançamento a Embraer estava começando a despontar com o E-Jet, criando o sucesso que foi sua nova aeronave regional. A proposta da Mitsubishi era (e ainda é) oferecer um avião totalmente atual e com nova motorização, capaz de ser mais econômico em comparação com a geração anterior, como os CRJs da Bombardier e o E-Jet E1 da Embraer.

Montagem do SpaceJet. Foto – Mitsubishi Aircraft/Reprodução

No meio tempo a Mitsubishi fez várias mudanças no projeto, adicionando já em 2008 os motores Pratt & Whitney Pure Power de nova geração. As versões também mudaram, e praticamente com a entrada do nome SpaceJet para o MRJ, a MHI abandonou uma versão proposta anteriormente para apostar no SpaceJet M100, um avião alinhado com os limites da aviação regional dos EUA.

Desta forma, em 2019, a Mitsubishi oferecia ao mercado o M90, de maior tamanho e equivalente ao E190-E2, e o M100, que apesar da numeração é equivalente em projeto ao E175-E2.

Na época a Mitsubishi Aircraft já acumulava vários atrasos no projeto. Em 2007 a empresa declarou que o primeiro voo seria em 2012, algo que só ocorreu no final de 2015. A primeira entrega para 2016 até o momento não foi realizada para a All Nippon Airways.

Mitsubishi MRJ SpaceJet
Foto: Anna Zvereva/Via Wikipédia

O projeto continua também paralisado pela Mitsubishi, sem muitas previsões para o retorno dos voos de testes e certificação do M90, que está mais adiantado neste momento. O M100 continua sendo somente um projeto da empresa, que não construiu até o momento os primeiros protótipos de testes.

O projeto do novo avião de passageiros japonês tem cinco aeronaves construídas até o momento, e todas estão estocadas nos Estados Unidos, visto que a certificação estava sendo realizado de acordo com as normas da FAA.

 

DEIXE UMA RESPOSTA