A Boeing e a Hawaiian Airlines anunciaram ontem que as empresas finalizaram um pedido para 10 aviões 787-9 Dreamliners, avaliados em US$ 2,82 bilhões. O acordo também inclui um direito de compra para dez aeronaves 787.

O contrato com a Boeing inclui também um suporte através da Boeing Global Services, divisão da fabricante que vai cuidar do treinamento de tripulantes e mecânicos e da transição de frota.

De acordo com a companhia, ela selecionou o 787-9 como uma opção à encomenda anterior do A330-800, que foi cancelada. A companhia também descartou a opção de encomendar o A330-900neo.

A Boeing afirmou que o 787-9 oferecerá um consumo até 20% menor em comparação com o A330-200 da companhia. Essas aeronaves serão utilizadas em substituição aos 767 e os A330 da Hawaiian.

As entregar começarão em 2021, e uma configuração interna será divulgada posteriormente, com o número total de assentos da aeronave. A Hawaiian escolheu os motores GE GEnx para propulsionar os 787-9.

A frota da companhia tem atualmente 54 aeronaves, são elas: 24 Airbus A330-200, 8 Boeing 767, 2 Airbus A321neo e 20 Boeing 717.

Enquanto isso a família 787 Dreamliner vai acumulando mais de 1400 encomendas firmes, e quase 700 entregas.