Boeing 737 MAX 10 Qatar

A Boeing e o International Airlines Group (IAG) anunciaram hoje (19) um pedido para um total combinado de 50 aeronaves 737 MAX 8-200 e 737 MAX 10, além de 100 opções.

“A adição de novos Boeing 737 é uma parte importante da renovação da frota de curta distância da IAG. Essas aeronaves de última geração são mais eficientes em termos de combustível do que aquelas que irão substituir e estão alinhadas com nosso compromisso de atingir zero emissões líquidas de carbono até 2050”, disse Luis Gallego , presidente-executivo do IAG.

O 737 MAX 8-200 permitirá ao IAG configurar o avião com até 200 assentos, aumentando o potencial de receita e reduzindo o consumo de combustível.

O maior modelo da família, o 737 MAX 10 acomoda até 230 passageiros em uma configuração de classe única e pode voar até 3.300 milhas. O jato com baixo consumo de combustível pode cobrir 99% das rotas de corredor único, incluindo rotas servidas por 757s.

“Com a seleção do 737-8-200 e do 737-10 maior, a IAG investiu em um futuro sustentável e lucrativo, pois ambas as variantes reduzirão significativamente os custos operacionais e as emissões de CO2 ”, disse Stan Deal , presidente e CEO da Boeing.

“O acordo de hoje para até 150 aviões, incluindo 100 opções, é uma adição bem-vinda do 737 às frotas de curta distância da IAG e reflete nosso compromisso de apoiar a recuperação contínua da rede do Grupo e o crescimento futuro com a família incomparável de aviões da Boeing”.

O 737 incorpora os motores CFM International LEAP-1B de última geração, winglets de tecnologia avançada e outras melhorias para oferecer a mais alta eficiência, confiabilidade e conforto aos passageiros no mercado de corredor único. 

A família de aviões 737 é, em média, 14% mais eficiente em termos de combustível do que os 737 Next-Generation mais eficientes de hoje e 20% mais eficiente do que os 737 Next-Generation originais quando entraram em serviço.

O anúncio de hoje finaliza um compromisso assumido pelo IAG para o 737 no Paris Air Show 2019 e está sujeito à aprovação dos acionistas do IAG.

 

 

Com informações da Boeing.