LATAM IATA
Foto: LATAM/Divulgação

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) divulgou os resultados dos mercados globais de transporte aéreo de carga de fevereiro de 2022. Segundo o relatório, apesar do cenário operacional desafiador, a demanda aumentou em fevereiro.

Vários fatores beneficiaram a carga aérea no mês, se comparado a janeiro. A atividade do setor de manufatura aumentou rapidamente após o feriado do Ano Novo Lunar no início de fevereiro. Além disso, a capacidade foi positivamente influenciada pelo relaxamento geral e progressivo das restrições de viagem relacionadas à COVID-19, redução de cancelamentos de voos devido à variante ômicron (fora da Ásia) e menos interrupções operacionais no inverno.

Nota: Voltamos às comparações de tráfego ano a ano, no lugar das comparações com o período de 2019, a não ser que especificado de outra forma. A demanda de transporte aéreo de carga está acima dos níveis pré-COVID-19, embora a capacidade ainda seja restrita.

  • A demanda global, medida em toneladas de carga por quilômetro (CTKs*), subiu 2,9% em relação a fevereiro de 2021 (2,5% para operações internacionais).
  • Ajustando a comparação para o impacto do Ano Novo Lunar (que pode causar volatilidade nos dados relatados) com o cálculo da média do desempenho de janeiro e fevereiro, a demanda aumentou 2,7% ano a ano. Os volumes de carga
    aumentaram, mas a taxa de crescimento desacelerou em relação à expansão de 8,7% ano a ano registrada em dezembro.
  • A capacidade ficou 12,5% acima de fevereiro de 2021 (8,9% para operações internacionais). Embora esse número seja positivo em comparação com os níveis anteriores à COVID-19, a capacidade continua restrita: 5,6% abaixo dos níveis de fevereiro de 2019.

    Vários fatores no ambiente operacional devem ser observados:

  • A inflação geral de preços ao consumidor nos países do G7 foi de 6,3% em fevereiro de 2022, a maior desde o final de 1982. Embora a inflação normalmente reduza o poder de compra, essa situação é equilibrada com níveis mais altos de poupança decorrentes da pandemia.
  • O componente que acompanha os novos pedidos de exportação do PMI, índice que mede a atividade econômica do setor de manufatura, caiu para 48,2 em março. Este foi o mais baixo desde julho de 2020, indicando que a maioria das empresas pesquisadas relatou queda nos novos pedidos de exportação.
  • A política de tolerância zero contra a COVID-19 na China continental e em Hong Kong continua gerando interrupções na cadeia de suprimentos devido a cancelamentos de voos causados pela escassez de mão de obra e porque muitos fabricantes não podem operar normalmente.

A invasão da Ucrânia pela Rússia teve efeito limitado globalmente no desempenho de fevereiro, pois ocorreu muito perto do final do mês. Os impactos negativos da guerra e sanções relacionadas (principalmente aumento nos custos de energia e comércio reduzido) serão mais visíveis a partir de março.

IATA
Foto: IATA

 

Dados da IATA acerca do desempenho por região em fevereiro de 2022:

As companhias aéreas da região Ásia-Pacífico relataram aumento de 3,0% nos volumes de carga aérea em fevereiro de 2022 em relação ao mesmo mês de 2021. A capacidade disponível na região aumentou 15,5% em relação a fevereiro de 2021, mas permanece muito restrita em comparação com os níveis pré-COVID-19, e representou queda de 14,6% em relação a fevereiro de 2019. A política de tolerância zero contra a COVID-19 na China continental e em Hong Kong está causando impacto negativo no desempenho.

As transportadoras da América do Norte registraram aumento de 6,1% nos volumes de carga em fevereiro de 2022 em relação a fevereiro de 2021. O aumento da atividade do setor de manufatura na China após o fim do feriado do Ano Novo Lunar trouxe maior movimentação no mercado Ásia–América do Norte. Os volumes com ajuste sazonal aumentaram 4,3% em fevereiro. A capacidade aumentou 13,4% em relação a fevereiro de 2021.

As transportadoras da Europa relataram aumento de 2,2% nos volumes de carga em fevereiro de 2022 em relação ao mesmo mês de 2021. Esse resultado ficou abaixo do mês anterior (6,4%), parcialmente devido à guerra na Ucrânia, que começou no final do mês. A demanda com ajuste sazonal na rota Ásia-Europa, uma das mais afetadas pelo conflito, diminuiu 2,0% em relação ao mês passado. A capacidade aumentou 10,0% em fevereiro de 2022 em relação a fevereiro de 2021 e caiu 11,1% em relação aos níveis pré-crise (2019).

As transportadoras do Oriente Médio registraram queda de 5,3% nos volumes de carga em fevereiro de 2022 em comparação com fevereiro de 2021. Este foi o desempenho mais fraco entre todas as regiões, devido à deterioração do tráfego em várias rotas importantes, como Oriente Médio-Ásia e Oriente Médio-América do Norte. Há sinais de melhora no curto prazo, pois os dados indicam que a região provavelmente se beneficiará com o redirecionamento do tráfego para não sobrevoar a Rússia. A capacidade aumentou 7,2% em relação a fevereiro de 2021.

As transportadoras da América Latina relataram aumento de 21,2% nos volumes de carga em fevereiro de 2022 em comparação com fevereiro de 2021. Este foi o melhor desempenho entre todas as regiões. Algumas das maiores companhias aéreas da região estão se beneficiando com o fim dos processos de falência. A capacidade em fevereiro aumentou 18,9% em relação ao mesmo mês de 2021.

As companhias aéreas da África registraram aumento de 4,6% nos volumes de carga em fevereiro de 2022 em comparação com fevereiro de 2021. A capacidade ficou 8,2% acima dos níveis de fevereiro de 2021.
 

Veja a análise da IATA do mercado de transporte aéreo de carga de fevereiro de 2022 (pdf)

Via: IATA