Equipe do Projeto IFFM4BR e da Empresa Kryptus S.A com o F-39. Imagem: IAE/Divulgação.

Entre 26 e 30 de abril de 2021, a equipe do Projeto IFF4BR do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) da Força Aérea Brasileira realizou ensaios de integração mecânicos e eletrônicos dos atuais modelos de criptocomputador CM4-B junto a integrantes da empresa Kryptus S.A. no GDDN (Gripen Design and Development Network) em Gavião Peixoto, São Paulo. Os ensaios fazem parte da integração do Criptocomputador nacional CM4-B no novíssimo caça SAAB Gripen E/F, designado F-39E/F na FAB. 

O IFF (Identification Friend or Foe) é um criptocoumptador que, através de interrogações eletrônicas com códigos criptografados, identifica aeronaves e outros veículos em combate como sendo amigos ou inimigos.

O equipamento é essencial para evitar o fratricídio (fogo amigo), especialmente nos dias atuais, onde o combate aéreo se baseia principalmente na arena BVR (Beyond Visual Range), ou seja, além do alcance visual, sem que o piloto possa identificar o alvo com os próprios olhos. 

Criptoemulador EM4-B inserido no Transponder M428 em ambiente de Laboratório (S-RIG). Foto: IAE/Divulgação.

“Foi incrível ver a aviônica Gripen e o simulador de vôo S-RIG prontos e extremamente capazes de fornecer os testes de integração necessários com o Criptoemulador funcional e o Mock-up de Criptocomputador mecânico. É de grande valia, ter conseguido adquirir os primeiros resultados dos testes funcionais na primeira hora após a chegada no GDDN, o que mostra a sua excelente preparação e ambiente de trabalho. Os brasileiros da Embraer, Atech e equipe da Saab operavam os dispositivos de emulação Gripen e ferramentas de simulação com grande conhecimento e habilidade, mostrando uma experiência real de Transferência de Tecnologia”, disse o Capitão Engenheiro Jozias Del Rios Vieira Granado Santos, Coordenador Técnico do Projeto IFFM4BR no IAE.

A Gerente do Projeto na Kryptus S.A, Thais Ribeiro, ressaltou que este é um projeto estratégico para empresa, em parceria com o IAE, tendo em vista aplicação na segurança nacional. 

Já Vinícius Barros, engenheiro de sistemas da Embraer, responsável pela execução do pacote de trabalho do IFF na GDDN, comenta que “O nível dos testes de integração de sistemas que realizamos essa semana foi muito significativo, o que comprova a capacidade do GDDN em conceber, desenvolver, validar e verificar sistemas de alta complexidade do Gripen, no que se refere a pessoas, infraestrutura e tecnologia.”

Equipe do Projeto IFFM4BR no GDDN. Foto: IAE/Divulgação.

O representante da Saab no GDDN para Sistemas Tácticos, Per Tibell, destaca que “Pela primeira vez no GDDN, pudemos testar a cadeia funcional IFF Mode 4 NSM completa desde a Interface Homem-Máquina (HMI) do piloto até o computador Crypto através do Transponder. Os problemas técnicos foram resolvidos graças à grande cooperação entre as equipes de Desenvolvimento de plataforma e Aviônica da Saab, a equipe de software da Embraer, bem como o IAE e a Kryptos. Sabemos que nem tudo funcionará perfeitamente na primeira vez, mas é muito importante encontrar as avarias e problemas o mais cedo possível no desenvolvimento. Por essa razão, esta semana foi um sucesso do meu ponto de vista”.

Segundo o 1º Tenente Engenheiro Vinícius (IAE), Coordenador da Engenharia de Sistemas e Gerente de Riscos do Projeto, “O ensaio realizado nesta semana foi fundamental para apresentar o potencial funcionamento em plataformas reais e mitigar riscos tecnológicos. O êxito logrado indica que o Projeto está no caminho certo e que o criptocomputador, futuramente, poderá ser empregado nas diversas plataformas das Forças Armadas brasileiras”.

Setup de Teste do Criptoemulador EM4-B. Foto: IAE/Divulgação.
Mock-up do CM4-B, fabricado na empresa Kryptus, inserido no Interrogador instalado no Gripen 4100, o primeiro da FAB. Foto: IAE/Divulgação.

A equipe do GDDN disponibilizou todo suporte necessário durante a realização dos ensaios. Todos os protocolos sanitários por conta da pandemia de COVID-19 foram rigorosamente seguidos. A equipe foi segregada em diferentes salas a fim de delimitar um número máximo de pessoas em diferentes salas e ambientes, garantindo a segurança de todos.

O Gerente-Adjunto do Projeto IFFM4BR, Capitão Aviador Daniel Rondon Pleffken, destacou a importância do evento e a alta motivação dos envolvidos: “Nessa semana demos um passo importantíssimo para o sucesso do projeto. Foi um sentimento de profunda satisfação e orgulho ver as equipes superando as expectativas” – e concluiu – “Nosso objetivo é consolidar a interoperabilidade entre as Forças Armadas Nacionais e não descansaremos antes de ver nossa tecnologia voando no F-39 Gripen”.

Capitão Rondon no simulador do Gripen. Foto: IAE/Divulgação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Via Instituto de Aeronáutica e Espaço – Força Aérea Brasileira