Airbus Racer. Imagem: Airbus/Divulgação.

A Airbus Helicopters segue avançando no desenvolvimento e montagem do protótipo demonstrador Racer. O Programa Racer faz parte do projeto European Research Clean Sky 2, envolvendo 40 parceiros e mais 13 países europeus visando a redução das emissões dos helicópteros. 

O demonstrador de alta velocidade será otimizado para uma velocidade de cruzeiro de mais de 400km/h e visa alcançar o melhor compromisso entre velocidade, eficiência de custos e desempenho da missão. 

Segundo a fabricante, a economia de combustível será gerada graças ao sistema elétrico híbrido de modo econômico da Safran, que permite que um dos dois motores Aneto-1X seja desligado durante o voo de cruzeiro. A arquitetura particular da fórmula do Racer também contribuirá para reduzir suas emissões acústicas operacionais.

O programa foi apresentado no Paris Air Show em 2017. A revisão crítica de design foi aprovada em 2019, antes do início da fabricação de componentes importantes em 2020. A recente conclusão da fuselagem central do demonstrador representa um marco decisivo para o programa, pois marca o início da montagem do Racer. 

Airbus/Divulgação.

Esta primeira fase de montagem está ocorrendo nas instalações da Airbus Helicopters em Donauwörth (Alemanha) e envolverá a instalação de vários componentes importantes, como o canopy, asas, o sistema de combustível, as capotas e muito mais. Ainda em 2021, o Racer será transferido para as instalações da Airbus Helicopters em Marignane, França, para a montagem final e posterior lançamento da campanha de voo em 2022.

Fuselagem Central 

Projetada e fabricada pelo consórcio RoRCraft da Romênia, formado pelo INCAS (Instituto Nacional de Pesquisa Aeroespacial “Elia Cafaroli”) e pela empresa aeroespacial ROMAERO, a fuselagem leve do Racer é uma grande conquista para as equipes, diz a Airbus. 

Esta é a primeira vez que uma estrutura de helicóptero híbrido avançada, incorporando elementos estruturais primários metálicos e compostos, é produzida na Romênia. O consórcio RoRCraft também estará contribuindo para a autorização de voo do demonstrador, projetando e conduzindo testes de solo e análises de tensão das peças necessárias da fuselagem.

Fuselagem central do Racer, fabricada pela RoRCraft. Imagem: Airbus/Divulgação.

Fuselagem Traseira

baseada em uma patente da Airbus Helicopters, a fuselagem traseira do Racer é uma grande conquista para as equipes da Airbus Helicopters na Espanha, que foi apoiada pelo consórcio Outcome liderado pela Aernnova.

Suas dimensões, peso objetivo e perfil de seção transversal assimétrica tiveram que ser projetados para otimizar o desempenho do voo pairado sem penalizar as demais fases de voo.

Da mesma forma, sua empenagem atípica em forma de H e seu estabilizador vertical/horizontal duplo inclinado, projetado para melhorar a estabilidade e o consumo de energia, também exigiram a implementação de tecnologias inovadoras. O Racer será a primeira aeronave Airbus a voar com uma estrutura primária, produzida com manufatura aditiva.

A fuselagem traseira do demonstrador de alta velocidade do Airbus ‘Racer foi produzida com manufatura aditiva. Imagem: Airbus/Divulgação.

Estruturas Laterais

Feitas de plástico reforçado com fibra de carbono (CFRP), a cobertura de 3,4 x 1,5 metros para os painéis laterais do Piloto conecta a cauda à cabine da aeronave. Essas cápsulas CFRP de grande formato são normalmente feitas manualmente, mas os componentes do Racer foram fabricados em um processo altamente automatizado, graças a um novo método desenvolvido por uma equipe de pesquisa do Instituto Fraunhofer para Tecnologia de Fundição, Composto e Processamento IGCV na Alemanha.

Essa equipe também realizou os testes mecânicos da combinação de materiais e do novo processo de fabricação necessários para receber a autorização de voo. As carcaças laterais intermediárias já foram montadas na fuselagem do Racer pelo consórcio RoRCraft da Romênia.

Coberturas de CFRP do Racer. Imagem: Airbus/Divulgação.

Canopy

Desenvolvido pelo consórcio alemão FastCan, formado pela KLK Motorsport GMBH e Modell und Formenbau Blasius Gerg GmbH, o inovador canopy de fibra de carbono do Racer é um bom exemplo das sinergias entre as indústrias automotiva e aeroespacial. O consórcio FastCan aproveitou a experiência em design automotivo e tecnologias de fabricação para criar um velame leve, que é otimizado para baixo calado aerodinâmico e um bom campo de visão. 

O canopy do Racer integrará janelas e para-brisas leves e resistentes à erosão, capaz de resistir a colisões de pássaros, mesmo em altas velocidades, e foram desenvolvidos pelo consórcio WIMPER, que compreende o KRD Sicherheitstechnik GmbH, o German Aerospace Centre DLR, o Instituto de Estruturas e Design e o Instituto de Design de Aeronaves da Universidade de Stuttgart.

O novo canopy de fibra de carbono do Airbus Racer. Imagem: Airbus/Divulgação.

Combustível

O projeto e fabricação do sistema de combustível do Racer é o resultado de uma colaboração entre o consórcio ActionRcraft, composto pela Safran Aerosystems, responsável pelo armazenamento de combustível, e o consórcio StrongCraft, formado pela Safran Aerosystems, Secondo Mona e o Netherlands Aerospace Center, responsável pelos sistemas de distribuição, medição e ventilação de combustível. 

Partindo de um design clássico de sistema de combustível, o principal desafio era adaptá-lo às novas capacidades do demonstrador em termos de velocidade, aceleração e taxas de subida e descida. O sistema de combustível continuará sendo posto à prova durante os próximos testes de solo e voo, a fim de garantir seu desempenho.

Asas

O consórcio britânico ASTRAL, composto pela AERNOVA Hamble Aerostructures e o Institute for Advanced Manufacturing da Universidade de Nottingham, é responsável pelo design e fabricação das asas inovadoras, um dos elementos mais marcantes do demonstrador. 

Otimizada para eficiência aerodinâmica, a “asa dupla” ou “asa de caixa” fornece sustentação no modo de cruzeiro, enquanto aumenta a segurança ao redor do demonstrador durante as operações em solo. 

Com o objetivo de contribuir para o objetivo de reduzir as emissões do programa Clean Sky 2, cada nova asa do Racer foi projetada com materiais ecológicos de alto desempenho que reduzem o peso da aeronave. As novas asas melhoram ativamente o desempenho do helicóptero, fornecendo elevação vertical adicional e a capacidade de voar mais longe e mais rápido do que os helicópteros tradicionais.

As asas do demonstrador de alta velocidade do Airbus Racer são otimizadas para eficiência aerodinâmica. Foto: Airbus/Divulgação.

Trens de pouso

O trem de pouso do Racer está sendo projetado, fabricado e testado pelo consórcio ANGELA, formado pelo Centro Italiano Ricerche Aerospaziali, Magnaghi Aeronautica e a lituana Techno System Development. Integrado dentro da asa e fuselagem com um sistema de portas móveis, o trem de pouso foi concebido para minimizar o arrasto quando recolhido. 

Quando estendido, o sistema fornecerá uma grande área para uma aterrissagem segura. Produto de referência do grupo Magnaghi Aeronautica há mais de oitenta anos, o sistema de trem de pouso está atualmente sendo submetido a todos os testes necessários para a liberação de voo em seu centro de testes perto de Nápoles.

Perna do trem de pouso do Racer. Imagem: Airbus/Divulgação.