Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Uma olhada no cockpit de um C-27J Spartan voando no céu vermelho / laranja no último sábado. (Captura de tela da imagem do vídeo RAAF).

As imagens a seguir mostram as condições de voo extremamente desafiadoras enfrentadas pelas missões de voo da RAAF, com as aeronaves C-130J Super Hercules e C-27J Spartan em Nova Gales do Sul e no leste de Victoria.

Estes voos foram realizados para apoiar as atividades de combate a incêndios e evacuação de pessoas, durante os incêndios mortais que estão acontecendo em toda a Austrália.

Enquanto voam através da fumaça pesada, as aeronaves de carga têm sua cabine iluminada pelo brilho vermelho dos incêndios.

De acordo com a RAAF, os vídeos foram filmados no dia 04 de janeiro de 2020, quando os C-130J tentaram pousar em Merimbula para trazer equipes de Bombeiros e Resgate da costa norte, enquanto a tripulação do C-27J tentou pousar em Mallacoota para realizar uma evacuação de pessoas do local.

O pouso em aeródromos tão pequenos com visibilidade degradada pela fumaça gerada pelos incêndios florestais não é uma tarefa fácil.

As fotografias provenientes de New South Wales mostram uma paisagem muito estranha, cheia de fumaça iluminada por um céu vermelho ardente. Parece um cenário de Marte.

Um C-130J Hércules da Força Aérea Real Australiana do Esquadrão No.37, Base RAAF Richmond, chega à Canberra depois de transportar equipes de Bombeiros e Resgate da NSW da Costa Centro-Norte de NSW para ajudar a combater os incêndios perto de Marimbula. (Crédito da imagem: RAAF)

Um total de 146 incêndios estão em toda a Nova Gales do Sul (NSW), de acordo com o Serviço de Incêndio Rural de NSW (NSWRFS). Mais de 5,25 milhões de hectares de floresta foram queimados até agora nesta temporada de incêndios na Austrália, e quase 1500 casas foram destruídas apenas em NSW.

A Força de Defesa Australiana (ADF) lançou a Operação Bushfire Assist 19-20 e montou Forças-Tarefas Conjuntas em Nova Gales do Sul e Victoria para melhorar o apoio à Defesa após incêndios devastadores no sudeste da Austrália.

O convés de voo brilha em laranja nos incêndios florestais abaixo, enquanto a tripulação do C-130J Hércules da Força Aérea Real Australiana tenta pousar no aeródromo de Merimbula para implantar equipes de Bombeiros e Resgate da região Centro-Norte da costa de NSW para ajudar a combater os incêndios florestais. (Crédito da imagem: RAAF).

Juntamente com os RAAF C-27Js e C-130Js, que fornecem transporte, MEDEVAC e outros apoios para combate a incêndios, o HMAS Choules e o MV Sycamore navegaram de Sydney e operam na costa sul de NSW/nordeste de Victoria para fornecer apoio às comunidades que ficaram isoladas devido aos incêndios florestais.

Os helicópteros MRH-90 da Marinha Real Australiana também foram despachados para apoiar a Operação Bushfire Assist.

O tenente-comandante Colin McLeod e o tenente Michael Regan voam através de uma névoa de fumaça criada pelos incêndios florestais vitorianos nas proximidades de Omeo e Mt Hotham. Eles estão pilotando um helicóptero de apoio marítimo da Marinha Australiana MRH-90 do 808 Squadron. (Crédito da imagem: ADF)

A Qantas cancelou todos os voos que entram e saem para capital do país, Canberra, no domingo, devido a fumaça e condições climáticas perigosas. De fato, os incêndios florestais estão gerando tempestades e redemoinhos de fogo.

As nuvens de pirocumulonimbus (isto é, tempestades formadas a partir da nuvem de fumaça de um incêndio) são criadas pelo calor intenso do fogo que faz o ar subir rapidamente. À medida que sobe, o ar esfria e condensa, formando uma nuvem.

À medida que a nuvem sobe a mesma esfria nas baixas temperaturas da atmosfera superior.

As colisões de partículas de gelo nas partes mais altas da nuvem acumulam uma carga elétrica, que pode ser liberada como um raio. Isso pode causar mudanças perigosas e imprevisíveis no comportamento do fogo, dificultando a luta e causando relâmpagos que podem causar novos incêndios.

O ar ascendente também estimula correntes de ar intensas, fazendo com que o fogo queime mais e se espalhe ainda mais.

 

Via – The Aviationist