Foto via The Dead District - Twitter

Imagens publicas pelo perfil The Dead District no Twitter mostram um dos dois primeiros F-15EX Eagle II carregando 12 mísseis ar-ar de médio-alcance AIM-120C AMRAAM e três mísseis de cruzeiro com características stealth AGM-158 JASSM. 

Não se sabe quando e onde as imagens foram registradas. Até o momento a Força Aérea dos EUA (USAF) recebeu dois caças F-15EX de um pedido inicial de oito unidades e pretende obter 144 aviões no total. As aeronaves passam por testes de desenvolvimento na Base Aérea de Eglin, na Flórida, e já participaram de exercícios de larga escala.

Seis mísseis ar-ar AIM-120C AMRAAM e um AGM-58 JASSM são vistos montados nos cabides e trilhos de lançamento das asas e dos tanques conformais do F-15EX Eagle II. Foto via The Dead District – Twitter.

Nas imagens é possível identificar 12 mísseis ar-ar guiados por radar ativo AIM-120C AMRAAM (Advanced Medium-Range Air-to-Air Missile) montados em trilhos de lançamentos nas asas e em pilones dos tanques conformais do caça americano. Do tipo “dispare e esqueça”, o AMRAAM começou a ser desenvolvido para complementar e eventualmente substituir o AIM-7 Sparrow, mais antigo e menos confiável. 

O primeiro abate com um AIM-120 ocorreu em 1992 quando um F-16 da USAF derrubou um MiG-25 Foxbat iraquiano. Atualmente o AMRAAM já é o principal míssil guiado por radar ativo em serviço no mundo, empregado por 40 países como Inglaterra, Portugal, Coreia do Sul, Israel, Taiwan e outros. 

Imagem mostra o caça da USAF carregando os armamentos estacionando e um hangarete. Foto via The Dead District – Twitter.

Desenvolvido pela Lockheed Martin para as Forças Armadas dos EUA, o AGM-158 JASSM (Joint Air-to-Surface Standoff Missile) é um míssil de cruzeiro com características de baixa-observabilidade (stealth) em serviço com a USAF desde 2009. Nas imagens é possível ver três AGM-158, um em cada asa e outro no centro da fuselagem. 

O armamento tem um alcance de 370km e possui uma ogiva de 450kg de explosivos, reforçada para a penetração de alvos como hangares e bunkers reforçados. Sua mais nova variante, JASSM-ER, entrou em serviço em 2014, tem um alcance de 925km e também é base para o AGM-158C LRASM, novo míssil anti-navio de longo alcance para a Marinha dos EUA, atualmente em desenvolvimento.

Em maio, militares do 85º Esquadrão de Testes e Avaliações, que tem como sede a Base de Eglin, carregaram um F-15E Strike Eagle com cinco AGM-158 durante um ensaio do Projeto Strike Rodeo. Em fevereiro, a mesma unidade conduziu um teste onde outro F-15 foi carregado com 15 bombas JDAM

Além dos mísseis ar-ar e de cruzeiro, o caça carrega o cabide/pod de navegação AN/AAQ-13 LANTIRN e um pod de identificação e pontaria de alvos AN/AAQ-33 Sniper ATP (Advanced Targeting Pod) montado em um pilone Lockheed TIGER Eyes, equipado com FLIR (Forward Looking Infrared)/IRST de longo alcance. 

Apesar de ser um caça multifuncional, como o payload das fotos demonstra, o F-15EX vai substituir os F-15C/D Eagle em serviço na USAF e nas Guardas Aéreas dos EUA. A Boeing desenvolve o Eagle II com base no F-15QA Qatari Advanced, adquirido pelo Catar. Dentre os destaques do F-15EX é a sua capacidade de carregar uma quantidade impressionante de 22 mísseis ar-ar usando o novo cabide AMBER (Advanced Missile and Bomb Ejection Rack), mas cabe lembrar que uma carga dessas também teria grandes implicações na performance da aeronave e na assinatura radar (RCS). 

Too many AMRAAMs», Φωτογραφία της Ημέρας - Πτήση & Διάστημα
Um F-15C Eagle da Guarda Aérea Nacional de Louisiana com os cabides AMBER montados em tanques conformais. Apesar de ser um item comum nos F-15EX, SA, QA e demais subvariantes do F-15E, os tanques de combustível conformais não são usados nos F-15 Eagle da USAF desde 1995, mas são usados nos F-15A/C BAz de Israel.

O F-15EX também incorpora uma suíte eletrônica do estado da arte, com display panorâmico, avançado sistema de guerra eletrônica Eagle Passive/Active Warning and Survivability System (EPAWSS), desenvolvido pela BAE Systems, radar AESA APG-82 e o Advanced Display Core Processor II, o mais rápido computador já instalado em uma aeronave de caça, capaz de processar 87 bilhões de instruções por segundo.