KAI KF-21 Boramae caça Coreia do Sul sul-coreano
Novo caça da Coreia do Sul decolou pela primeira vez nesta terça-feira, cumprindo um voo de testes de 40 minutos. Foto: DAPA/ROKAF.

O KAI KF-21 Boramae (Falcão), novo caça da Coreia do Sul, fez nesta terça-feira (19) o seu primeiro voo de testes. A aeronave, que tem desenho similar aos F-22 e F-35 norte-americanos, cumpriu seu primeiro voo três dias antes do planejado originalmente. 

Sob os comandos do Major-General Ahn Jun Hyun, um piloto de teste da 52ª Unidade de Avaliação de Teste da Força Aérea da Coreia do Sul (ROKAF), o KF-21 decolou das instalações da KAI (Korea Aerospace Industries) na base aérea de Sacheon, a cerca de 300 quilômetros de Seul. 

O primeiro de seis protótipos (que incluem dois aviões de dois assentos), fez um voo de 40 minutos pela região, acompanhado de um avião paquera T-50 Golden Eagle que registrou o voo do novo caça. O KF-21 manteve seus trens de pouso estendidos durante o teste, como de costume em primeiros voos. 

O voo do KF-21 estava originalmente marcado para a sexta-feira (22). No entanto, o avião apresentou uma boa performance nos testes de solo no início do mês. Dessa forma, a equipe de desenvolvimento decidiu adiantar sua primeira decolagem. 

Jato carrega semelhanças com o F-22 e F-35, mas não é um avião stealth. Foto: DAPA/ROKAF.

O jato foi desenvolvido pela KAI através do programa KF-X, cujo investimento é avaliado em US$ 6,67 bilhões. A Indonésia se juntou ao programa, mas atrasos nos pagamentos por parte de Jakarta estão afetando a parceria entre os dois países. 

Apesar de guardar claras semelhanças com os caças stealth F-22 Raptor e F-35 Lightning II dos EUA – o maior parceiro da Coreia do Sul – o KF-21 não é um caça de 5ª Geração, mas sim de 4.5 Geração como o Dassault Rafale, Sukhoi Su-35 e Saab Gripen E/F.

Foto: DAPA/ROKAF.

Ao contrário dos aviões stealth, o Boramae vai carregar todos seus armamentos externamente, em 10 pontos duros nas asas e fuselagem, o que logicamente aumenta sua assinatura radar.

O KF-21 fez seu primeiro voo carregando quatro mísseis Meteor cativos, instalados em estações na fuselagem. Segundo a Administração para Aquisições de Defesa (DAPA), o avião não estava com o IRST (sistema de busca e acompanhamento por infravermelho) instalado. 

KAI KF-21 Meteor
Quatro mísseis MBDA Meteor cativos foram carregados pelo KF-21 no seu primeiro voo. Foto: DAPA/ROKAF.

“Este é o momento em que as capacidades da Coreia do Sul para desenvolver o caça de alta tecnologia de 4.5 geração se concretizaram com este primeiro voo”, disse a DAPA em comunicado. “À medida que nos aproximamos do desenvolvimento bem-sucedido do caça, isso simboliza um novo salto na tecnologia da aviação doméstica e uma ascensão das forças militares de alta tecnologia”.

As primeiras versões, chamadas de Block I, serão dedicas ao combate aéreo, carregando apenas mísseis ar-ar e o seu canhão interno. Posteriormente a Coreia do Sul vai evoluir o avião, permitindo que ele possa receber bombas e mísseis para ataque ao solo. 

KF-21 Boramae caça Coreia do Sul KAI
KAI KF-21 Boramae fez seus primeiros testes de solo no dia 04/07. Foto: KAI.

O KF-21 é o substituto dos antigos F-4E Phantom II e F-5E/F Tiger II, que dividem a missão de defender o país com aviões muito mais modernos e capazes como o F-15K Slam Eagle e o próprio F-35.

A previsão da KAI é que a produção em série deve iniciar até meados de 2026. A Força Aérea Sul-Coreana (ROKAF) espera contar com mais de 120 unidades do novo caça até 2032. O projeto também conta com a parceria vital da GE Aviation, responsável por fornecer os motores F414, os mesmos utilizados no SAAB JAS 39E/F Gripen e o F/A-18E/F Super Hornet, e da Martin-Baker, que produz os assentos ejetáveis Mk.18