Clique Aqui e receba as principais Notícias da Aviação em tempo real diretamente no seu Whatsapp ou Telegram.

Caças F-15C e F-15E da Força Aérea Americana acompanham o reabastecimento em voo de um Su-30MKI Flanker-H e um Il-78 Midas da Força Aérea Indiana durante a Red Flag 08-03. Foto: Ministério da Defesa Indiano.

Em um comunicado divulgado ontem (15), o Departamento de Defesa dos EUA (DoD) afirmou que a Índia não assinará nenhum acordo de cooperação em defesa com os EUA. 

No comunicado, que reconhece os problemas, características e peculiaridades da Região Indo-Pacífico, um oficial sênior do Pentágono diz que “A Índia não vai assinar um tratado de defesa mútua conosco tão cedo, mas eles são um grande parceiro de defesa dos Estados Unidos e estão tentando se tornar mais interoperáveis ​​com os militares dos EUA em suas capacidades militares, seu comando e controle, seu compartilhamento de informações.”

O site Defense World destaca que no passado os dois países assinaram o acordo BECA (Acordo Básico de Intercâmbio e Cooperação), visando conter o poder crescente da China na região. Isso dará à Índia a capacidade de acompanhar de perto os movimentos do exército e dos navios de guerra chineses no Oceano Índico.

Caças F-15C Eagle dos EUA e MiG-27 Flogger da Índia durante o Exercício Cope India 2004. Foto: Força Aérea Indiana.

Ultimamente, soldados indianos e chineses tem se confrontado em grandes números, usando paus, pedras e suas próprias mãos, fato reconhecido no próprio comunicado do Pentágono. 

“O comportamento da China na região – desde lutar com a Índia na linha de controle até aumentar os esforços e patrulhas na região do Oceano Índico – é preocupante para a Índia. “Eles estão cientes disso e o país tradicionalmente não alinhado está começando a fazer mais com os Estados Unidos, com a Austrália e com o Japão.” 

O DoD também reconhece seus principais parceiros da região: Coreia do Sul, Japão, Filipinas, Tailândia, Austrália e Nova Zelândia.

“A melhor arma do arsenal é a rede de aliados e parceiros dos Estados Unidos. Ao contrário da Europa, onde a OTAN e a União Europeia acostumaram as nações a trabalharem juntas multilateralmente, o Indo-Pacífico não tem essa arquitetura”, diz o Pentágono, citando, novamente, um oficial sênior.