Índia sinaliza indícios de abandonar compra do moderno F-21

Arte do F-21 fabricante pela Lockheed Martin exclusivamnete para a Índia- Foto: Lockheed Martin

A IAF (Força Aérea Indiana), sinalizou que cancelaria a compra de caças fabricados no exterior e isso se remete ao Lockheed Martin F-16 que seria fabricado exclusivamente para a Índia. O caça receberia o nome de F-21 pelos militares indianos.

“A força aérea indiana em 2019 anunciou que gastaria até US $ 15 bilhões na compra de 114 caças. O plano era que os novos aviões substituíssem os MiG-21 antigos e voassem ao lado de Jaguares projetados na Europa, French Mirage 2000 e Rafales, MiG-29 e Su-30 russos e o próprio Tejas Light Combat Aircraft da Índia, no que a Lockheed descreveu como maior ecossistema de aeronaves de combate do mundo “.

Uma das novidades do F-21 é o novo rockpit e o porebe de Revo que diferente dos F-16 já conhecdos fica localizado na lateral – Foto: Lockheed Martin

Além do F-21, outros caças de fabricação estrangeira estavam na lista, como o também norte-americano F / A-18E /F, o sueco Gripen E, os russos MiG-35 e Su-35, e o europeu, Eurofighter Typhoon.

O F-21 iria oferecer recursos de caças de 5º geração, mesmo sendo da geração 4 Plus.o F-21 teria novos displays de cockpit, tanques de combustível conformáveis, uma grande coluna de estrutura de aeronave que poderia acomodar sistemas de comunicação ou bloqueadores de radar, acessórios para engodos de radar rebocados, um novo sensor infravermelho e uma sonda de reabastecimento em voo.

Mas, “a força aérea Indiana está mudando isso para a ACV”, disse o chefe da equipe de defesa Bipin Rawat em uma entrevista . “A força aérea encomendaria 83 Tejas adicionais (caça de fabricação local), além das 40 ACVs pelas quais o serviço já pagou”.

HAL Tejas. Foto/Divulgação- Indian Airforce Twitter

Os 83 caças Tejas custariam cerca de US $ 6 bilhões e isso segundo o site Forbes , é menos da metade do que o governo indiano gastaria com a compra de caças estrangeiros. “A IAF está dizendo: prefiro pegar o combatente indígena, é bom”, disse Rawat.

A frota de caças indianos atualmente conta com 28 esquadrões, mas a meta é chegar a 42 esquadrões e isso será impulsionado com a chegada dos restantes Dassault Rafales e demais unidades com caça russos SU-30 e dos caças leves LCA.


Rafale indiano-Foto – Divulgação

 

Fonte de apoio: Forbes/ Edição: Aeroflap

DEIXE UMA RESPOSTA