O India’s Director General of Civil Aviation ordenou que a IndiGo paralise 11 aviões Airbus A320neo da sua frota, equipados com motores Pratt & Whitney PW1100.

Esse fato está acontecendo novamente na Índia devido aos problemas nos motores da Pratt & Whitney, que recentemente assumiu um problema novo no PW1100G.

O motivo da paralisação dessa parte da frota é um problema que ocorreu no último dia 12 de março, quando um A320neo da companhia fez um pouso de emergência em Ahmedabad, após uma falha no motor 2, que levou ao desligamento do mesmo. Antes desse incidente, ocorreram outros dois parecidos na índia com os mesmos motores, sendo um no dia 24 de fevereiro e outro no dia 05 de março.

De acordo com o órgão de aviação da Índia, todos os motores da série ESN 450 estão afetados, e os aviões equipados com eles precisam passar por inspeções antes de voltar ao serviço.

A IndiGo disse que 8 aeronaves operando pela sua marca estão impedidas de voar, e três aeronaves da subsidiária GoAir também foram afetadas.

O DGCA está seguindo as últimas diretrizes lançadas pela Agência Europeia da Segurança da Aviação. O órgão exigiu a substituição completa desses motores afetados até o início de junho, pela própria fabricante.

A IndiGo opera com 29 aviões do modelo A320neo, todos equipados com o mesmo motor, enquanto a GoAir tem 13 aviões A320neo. As duas companhias somam mais de 530 encomendas para aeronaves da família A320neo.