Infraero inicia obras em Congonhas, que terá apenas 19 voos por dia

Aeroporto de Congonhas e parte da sua pista principal no canto direito.

A Infraero iniciou nesta quarta-feira (05/08) as obras na pista principal do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Com investimento de R$ 11,5 milhões, a intervenção vai exigir o fechamento total da pista por até 32 dias.

De acordo com a administradora do terminal, a pista principal dessa vez vai receber uma camada porosa de atrito como pavimento asfáltico. Essa “nova tecnologia”, já utilizada no Aeroporto Santos Dumont, pode melhorar o desempenho dos aviões em pista molhada.

O melhor desempenho é obtido através de um aumento da aderência do pneu da aeronave ao pavimento asfáltico. A camada porosa ajuda no escoamento da água, evitando que poças e lâminas de água sejam formadas, causando aquaplanagem no momento do pouso.

Obras de pavimentação com asfalto poroso, mais aderente, na pista principal do Aeroporto Santos Dumont. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Essa nova tecnologia é um avanço, e dispensa os polêmicos groovings não realizados inicialmente na obra de 2007. Estes também melhoram o escoamento, mas não diminuem a umidade do solo imediatamente como o pavimento poroso.

Os trabalhos incluem serviços de fresagem do revestimento asfáltico existente, execução de camada estrutural de concreto asfáltico (CBUQ) com grooving na região das cabeceiras; e de camada superficial porosa de atrito (CPA). A técnica CPA não utiliza emendas transversais no pavimento, sendo necessário um trabalho contínuo para seu melhor resultado, evitando-se interrupções.

Para a execução dos serviços dentro do prazo estabelecido, serão alocadas equipes 24 horas por dia, 7 dias por semana.

 

Voos no período de obras

Com as obras na pista principal do Aeroporto de Congonhas, a única disponível para uso é a auxiliar, de menor tamanho. Por este motivo apenas aviões de menor porte podem operar no local durante este período.


Como forma de manter um mínimo de voos no local, sem deslocar a malha para o Aeroporto de Guarulhos, a Azul e a VoePass optaram pelo ATR 72, um turboélice de aproximadamente 70 assentos.

A Azul diminuiu o número de voos diários em Congonhas, mas manteve alguns significativos voos na ponte aérea, que voltou a ser operada com aviões turboélice. Ao todo são 16 voos da Azul por dia, sete aos sábados e 12 aos domingos.

Já a VoePass vai operar uma média de 4 a 6 voos por dia no Aeroporto de Congonhas durante as obras. Os dias com maiores operações serão às segundas, quintas e sextas-feiras.

Durante o período das obras na pista principal, o Aeroporto de Congonhas continuará funcionando normalmente, das 6h às 23h. As operações aéreas ocorrerão na pista auxiliar e os serviços comerciais funcionarão de acordo as regras de distanciamento e prevenção das autoridades de saúde.

A GOL e a LATAM moveram seus voos de Congonhas para o Aeroporto de Guarulhos durante as obras na pista. Apenas a LATAM está oferecendo um transporte gratuito entre os terminais, através de ônibus da companhia aérea.

 

Curiosidades

Nesta quarta-feira (05/08) a equipe do Portal Aeroflap foi convidada pela Infraero para acompanhar o início das obras no Aeroporto de Congonhas

Questionamos o supervisor sobre o prazo da obra, que não foi realizada em março ou abril, com tráfego menor de passageiros.

Ele respondeu que inicialmente a obra estava agendada para 2021, contudo, a Infraero resolveu antecipar quando percebeu que a demanda na aviação ficaria retraída por um período maior.

Contudo, a Infraero como empresa estatal precisa cumprir rigorosamente a lei, e uma licitação é aberta para convocar empresas capacitadas em realizar a recuperação da camada de asfalto. Além disso, agosto é conhecido por ser um mês com poucas chuvas em São Paulo, facilitando o andamento da obra.

Por estes motivos a Infraero só foi realizar a obra agora, na retomada dos voos domésticos.

O próximo ano era o prazo máximo para esta obra ser realizada. A Infraero não poderia deixar o setor privado assumir essa obra a partir de 2022 por motivos de segurança.

 

DEIXE UMA RESPOSTA