Foto: Aeroporto de Brasília

A Inframerica, administradora do Aeroporto de Brasília, mudou a forma de trabalho no terminal aéreo. Há noves meses a Covid-19 colocou 90% dos trabalhadores das áreas administrativas em trabalho remoto ou flexível. E em 2021 a concessionária deve seguir com esta prática.

As funções operacionais, como técnicos de manutenção, fiscal de pátio, bombeiros, atendimento ao cliente, técnicos de informática e as equipes de logística de cargas por exemplo, seguem presenciais. Estes funcionários representam cerca de 70% da mão de obra do Aeroporto e prestam serviços classificados como essenciais, necessários in loco para que pousos e decolagens aconteçam todos os dias e com segurança.

O objetivo da concessionária é evitar que os funcionários destes departamentos de suporte de gestão, se aglomerem nos escritórios do terminal aéreo.

Em uma pesquisa interna realizada pela concessionária com este grupo de trabalhadores, 74% responderam que gostariam de permanecer neste tipo de modalidade de trabalho e se sentem confortáveis e mais produtivos realizando o serviço de casa.

Entre as considerações elencadas pelos colaboradores, estão a economia de tempo em transporte e a qualidade de vida em poder estar mais próximo da família.

Funcionários considerados do grupo de risco, com restrições médicas, gestantes e acima de 60 anos, foram automaticamente para o sistema home office, indiferente do setor que trabalhe.

Para atender melhor os funcionários que trabalham de forma presencial e aqueles que aderiram a modalidade flexível, ou seja, que vão ao aeroporto duas ou três vezes na semana, a concessionária fez uma reforma em todas as áreas administrativas levando em consideração as novas medidas sanitárias.


Entre as modificações estão a instalação de barreiras de acrílico entre as mesas, abertura de janelas, pontos de álcool gel em todos os espaços e a mudança das áreas comuns para ambientes mais abertos.

Além destas mudanças físicas, os funcionários que trabalham presencialmente passam por verificação de temperatura ao longo da sua jornada de trabalho e são acompanhados semanalmente por uma médica do trabalho.

Todos os colaboradores também receberam máscara, álcool em gel e aqueles que atendem diretamente o público, ganharam um protetor de acrílico, conhecido como face shield.

Outra transformação que aconteceu na pandemia foi a incorporação de tecnologias para aproximar, realizar trabalhos em equipes e melhorar a comunicação.

A área de TI introduziu novas plataformas para teleconferências e uso de ferramentas para transferência de ligações fixas. Outra mudança que ocorreu foi a forma de comunicação com os funcionários.

Agora as informações chegam de forma mais rápida e com muito mais conteúdo por grupos criados em uma plataforma de conversa por celular. Outra ação realizada mensalmente é uma conversa aberta entre a direção do Aeroporto e os funcionários.

Em formato online os colaboradores têm a oportunidade de escutar da alta gestão como estão indo os negócios e as ações que vem sendo realizadas pela concessionária, ademais é um canal aberto para fazer perguntas e tirar dúvidas.

“Segurança é valor primordial para a Inframerica, e isso não seria diferente com a saúde dos nossos funcionários. A mesma preocupação que temos com nossos passageiros em dar conforto, adicionar tecnologia e criar um ambiente para que ele possa voar tranquilo é a preocupação que temos com o nosso maior patrimônio: nossos funcionários”, explica Diego Teixeira, gerente de Recursos Humanos da Inframerica.

O executivo conta que os investimentos realizados nos ambientes estão prontos para aqueles que preferem e precisam trabalhar no terminal.

“Em 2021 vamos continuar com este formato híbrido no aeroporto. Este novo modelo de negócio foi desafiador, estávamos acostumados com uma forma de trabalho que hoje não condiz mais com a realidade e precisamos nos adequar para este novo panorama. Claro que esta não é a realidade de toda a nossa empresa, nós prestamos um serviço essencial para a população e que é preciso de interação, atendimento presencial no aeroporto. Mas, para algumas áreas, mesmo com a vacinação, este novo padrão pode ser adotado de forma definitiva”, pondera.