Um clássico Junkers Ju 52, fabricado em 1939, sofreu um acidente no início deste mês, vitimizando todos os 20 ocupantes que estavam a bordo.

No momento do acidente o avião fazia um voo turístico, algo fornecido em aeronaves deste tipo, que são clássicas e ainda estão em condições de voar.

Com o acidente a autoridade de investigação suíça, SUST, iniciou uma investigação para apontar as causas do ocorrido, e pela falta da caixa preta, há poucos informações sobre os último minutos deste voo.

Um dos pontos da investigação preliminar aponta que a aeronave voava do nordeste e fez uma curva à esquerda para o sudoeste, perto do pico de Piz Segnas, que chega a cerca de 3100 metros de altura, ou 10170 pés.

A curva para esquerda provavelmente iniciou uma falta de controle, por parte dos pilotos da aeronave, pois a mesma se colocou em uma trajetória espiral à baixa altitude do solo. Cerca de 500 metros do local do acidente, a asa do avião já estava perpendicular ao solo.

A SUST ressaltou que provas de problemas técnicos são foram encontradas, apesar de ser difícil de medir isso devido aos danos do Ju-52.

Os investigadores ainda não detalharam as condições climáticas no momento, embora a aeronave estivesse operando sob condições visuais.

O piloto não emitiu nenhum sinal de emergência antes do acidente. O comandante da aeronave tinha mais de 900 horas de voo neste tipo de avião.