Lockheed Martin F-35A USAF

A possível venda de caças furtivo F-35 Lightning II dos EUA para os Emirados Árabes Unidos não está agradando Israel, que atualmente é a única nação dos Oriente Médio a operar esse caça.

O motivo dessa objeção de venda de caças F-35 aos Emirados Árabes, mesmo que ambas as nações tenham boas relações diplomática, talvez seja uma visão estratégica do Estado israelense de apenas Israel operar caças F-35 na região.

Contudo, essa não aprovação de Israel, não significa que os Emirados Árabes não possam adquirir outros equipamentos, inclusive de fabricação israelense, como os famosos drones israelenses.

Aeronaves F-35A Lightning II. Foto – USAF/David Drais

Todavia, o fato dos Emirados Árabes ser um cliente em potencial dos EUA no campo bélico, a decisão de venda pode acabar por sair.

Outro motivo que ajuda reforçar a venda de equipamentos militares dos EUA para os Emirados Árabes, é a confiança do governo norte-americano a pequena nação.

Segundo o site Forbes, a CIA no presente momento não faz espionagem aos Emirados Árabes, dada a grande confiança do governo americano.

No entanto, a oposição de Israel tem um grande peso na decisão de venda, visto que Israel e Arábia Saudita são os maiores parceiros dos EUA no Oriente Médio.


Além disso, a Rússia também pode entrar na jogada, isso porque Moscou já havia sugerido que o Emirados Árabes ajudassem o desenvolvimento do caça furtivo SU-57 para os Emirados Árabes.

SU-57 Foto: © Sputinik/ Maxim Blinov

Mas se isso acontecer, os Emirados Árabes teriam um grande problema com os EUA, que iriam impor sansões, algo que está acontecendo com a Turquia, que perdeu seus F-35 após a compra do sistema russo de defesa S-400.

 

DEIXE UMA RESPOSTA