Pilotos ITA Airways A330
Foto: ITA Airways

No dia 30 de abril, o voo AZ609 da ITA Airways de Nova York JFK para Roma Fiumicino se tornou alvo de uma investigação da companhia italiana após a suspeita que tanto o comandante quanto o copiloto teriam cochilado. 

Segundo informações do Portal aeroTELEGRAPH, o controle de tráfego aéreo de Marselha tentou entrar em contato com a aeronave no espaço aéreo francês, mas sem sucesso. 

Com isso, dois caças franceses foram colocados sob alerta com a  suspeita de que o A330-200 estaria sob o poder de terroristas, hipótese descartada 10 minutos após um dos pilotos retomar o contato. 

Apesar de o voo ter seguido normalmente até a Itália, a ITA Airways abriu uma investigação interna e decidiu demitir o comandante do voo. Em sua defesa, o comandante negou que tenha adormecido durante o voo e alegou que encontrou problemas técnicos com o rádio da aeronave. 

No entanto, a ITA Airways não encontrou evidências de que a aeronave tenha sofrido falhas nos equipamentos de comunicação. 

Após demitir o piloto, o sindicato de pilotos Nav Aid Pilotiaz criticou a atitude e questionou a ITA Airways por autorizar o voo transatlântico com apenas dois pilotos a bordo, justificando que tal medida contribuiu para a fadiga dos pilotos.

O caso está sendo investigado pelo Ministério dos Transportes da Itália.

Com informações: aeroTELEGRAPH