Mockup do Tempest com um Eurofighter da RAF ao fundo- Crédito da imagem: BAE Systems

A Itália entrou oficialmente no projeto do caça de 6ª geração Tempest. Com a adição da Itália se somam 3 nações envolvidas no projeto, sendo a primeira o Reino Unido, a segunda a Suécia, que entrou em julho deste ano e completando a recém inclusa Itália.

“A Declaração de Intenção compromete os dois governos a desenvolver ainda mais suas capacidades no setor de Combat Air. É o resultado de um Estudo de Viabilidade do Governo conjunto, lançado após a publicação da Estratégia Aérea de Combate do Reino Unido no Farnborough Air Show em julho de 2018”, afirma o comunicado de imprensa do Ministério da Defesa italiano.

Mock Up do caça Tempest- Crédito da imagem: MBDA

A Itália e o Reino Unido já tem laços conjuntos de aeronaves, a primeira o Eurofighter Typhoon, caça que ambas nações operam em suas forças aéreas, bem como o norte-americano F-35A/B, sendo que ambas nações já tem esquadrões do caça stealth e fazem parte do Programa F-35.

Os investimentos no Tempest devem girar em torno dos 2 bilhões de libras esterlinas, dinheiro esse investido pelos ingleses. Esse valor além de ser usado no projeto do Tempest seria usado em projetos terceiros da Estratégia de Defesa inglesa.

“As decisões iniciais sobre como adquirir a capacidade serão confirmadas até o final de 2020, antes que as decisões finais de investimento sejam tomadas até 2025. O objetivo é que uma plataforma de próxima geração tenha capacidade operacional até 2035”, disse o Ministério da Defesa britânico. comunicado de imprensa oficial após o anúncio na FIA 2018.

Infográfico da MDBA que mostra os armamentos que o Tempest poderá usar. Foto: MDBA UKT

“No domínio da Sobrevivência no Ataque e Controle do Ar, trabalhar em estreita colaboração com Leonardo e a BAES levou o MBDA a desenvolver conceitos para um Sistema de Ajuda Defensiva para Matança Rígida (HK-DAS) capaz de rastrear, direcionar e interceptar mísseis em alta ameaça ambientes”, diz a versão mais recente do MBDA.

Outras nações europeias também tem esquemas de parceria para desenvolvimento de novas aeronaves de gerações modernas. É o caso da Alemanha e da França que assinaram neste ano um acordo de parceira para o desenvolvimento de um novo caça europeu.

 

Fonte de apoio: The Aviationist / Edição: Aeroflap