Aeroporto de Brasília ITA Itapemirim

No início de 2020 a Itapemirim começou o seu projeto para montar uma companhia aérea no Brasil. Amplamente conhecida no transporte rodoviário, a empresa decidiu retornar ao mercado de aviação meses após a Avianca Brasil encerrar as suas operações.

Na realidade esta não foi a primeira aposta da Itapemirim na aviação brasileira. Na década de 90 uma aérea cargueira, apoiada em aviões Boeing 727, foi criada pela Itapemirim. Durou pouco, e as operações foram encerradas repentinamente.

Em 2017 a Itapemirim tentou comprar a Passaredo, atual VoePass, mas a transação entre as duas empresas em recuperação judicial (na época) não foi concluída, por falta de pagamento da ITA.

 

E depois de quase 18 meses de planejamento, certificação, várias entrevistas e promessas, finalmente o histórico voo IPM-001 decolou do Aeroporto Internacional de Guarulhos aproximadamente às 10h15 desta terça-feira (29), em direção ao Aeroporto de Brasília, onde pousou às 11h39.

O voo ITA0001 foi realizado com o Airbus A320ceo de matrícula PS-SPJ, tripulado Comandante Eduardo e copiloto Daniel Macedo, a chefe de cabine Kamila Costa e os comissários Polidoro, Carolina e Rochele.

Os comissários e pilotos que realizaram o voo ITA0001 nesta terça-feira.

No dia em que realizou seu primeiro voo de passageiros, a ITA também anunciou sua entrada na Associação Brasileira das Empresas Aéreas, a ABEAR. O Presidente da associação, Eduardo Sanovicz, falou na estreia da companhia em Guarulhos, ao lado do Presidente do Grupo Itapemirim, Sidnei Piva.

Em seu interior, o A320 apresenta assentos slim, com uma largura menor que os usados nas companhias Gol, LATAM e Azul, e sem apoios de cabeça reguláveis.

A configuração de 162 assentos, destacada pela Airbus em comunicado que celebra o primeiro voo da companhia, traz um confortável espaço para as pernas mesmo nos assentos que não estão na primeira fileira ou na saída de emergência. 

Mesmo sem serviço de bordo, restrito pela Anvisa por conta da pandemia de COVID-19, os comissários realizaram um atendimento bastante cordial. 

Em Brasília o A320 da Itapemirim foi recebido com um tradicional batismo de águas, que na aviação marca o momento histórico de uma companhia, seja do início dos voos ou de uma nova rota.

O primeiro voo foi concluído com a aeronave que chegou em fevereiro deste ano, a primeira da frota e a mesma que participou de todos os voos de certificação da aérea. O Airbus de matrícula PS-SPJ não é novo, foi fabricado em 2004 e atualmente opera na aérea em regime de leasing operacional com condições especiais para possibilitar o início dos voos comerciais. 

Você pode acompanhar toda a estreia da Itapemirim no dia 29 de junho e 1º de julho no Portal AEROFLAP e nas nossas redes sociais (@aeroflap).

A operação marcou a primeira vez que a Itapemirim transportou passageiros com uma aeronave. Mesmo durante a atual crise do setor, a empresa aposta em ganhar participação no mercado com maior conforto e “dividindo o bolo” na recuperação dos voos.

A estratégia até deu certo, e agora Itapemirim conseguiu o feito de começar as operações com dois slots no Aeroporto de Congonhas. Que a companhia ainda não decidiu como utilizá-los.

A mesma aeronave realizará um voo de Brasília para São Paulo, decolando às 16h15, e pousando às 17h45.

Veja o rastreamento do avião Clicando Aqui.

Site da companhia: Voeita.com.br

 

Começo das ideias

Como citamos anteriormente, no início de 2020 o atual acionista da Itapemirim, Sidnei Piva de Jesus, restaurou a ideia de fundar uma companhia aérea. 

Em fevereiro de 2020 o então presidente da Itapemirim, Sidnei Piva, disse em uma entrevista para a Folha de S. Paulo, que um fundo soberano dos Emirados Árabes Unidos deve investir cerca de R$ 2,1 bilhões na nova empresa de aviação, para a companhia já começar grande, com uma encomenda para 35 aviões.

Na época Piva não destacou os aviões que a empresa deveria utilizar, mas ressaltou a mescla entre turboélices e aviões a jato. Logo após a informação de 15 unidades do Q400, e mais 20 aviões CRJ1000 foi ventilada.

Itapemirim

Ao longo dos meses o planejamento mudou, assim como as aeronaves e o início das operações, que ficou para 2021 após uma piora da pandemia no final do ano. 

A certificação avançou mesmo nos quatro últimos meses de 2020, quando a empresa estava contratando a primeira equipe de operação, submetendo materiais para a ANAC e assinando contrato de leasing de aeronaves.

Neste período a companhia comprou as operações da América do Sul Taxi Aéreo (ASTA). Com essa aquisição, a Itapemirim teve acesso antecipado às várias aprovações na ANAC, como os RBAC 135 e 121, facilitando o processo de certificação de uma companhia aérea de voos regulares.

As contratações da primeira equipe para os voos comerciais foram realizadas a partir de novembro, se estendendo para janeiro, fevereiro, quando o primeiro avião da empresa chegou no Brasil, no dia 24, e até mesmo maio de 2021.

Certificação

Com o primeiro avião em solo, a Itapemirim começou os processos para avançar ainda mais na sua certificação, enquanto a aeronave recebia na Digex, em São José dos Campos, as cores da empresa.

Apresentado em abril deste ano, o PS-SPJ começou os voos de certificação poucas semanas após ficar pronto.

Com apenas com a equipe operacional a bordo, as simulações dos voos aconteceram entre os dias 12 e 15 de abril, visitando os aeroportos de GRU (São Paulo), CNF (Belo Horizonte), SSA (Salvador), POA (Porto Alegre) e GIG (Rio de Janeiro).

Você pode conferir Clicando Aqui um resumo dos voos de certificação.

Itapemirim ITA Airbus A320
Airbus A320 no Aeroporto de Guarulhos, durante os voos de certificação. Foto: Gisele Orquídea/Aeroflap

No dia 28 de abril, ou seja, poucos dias depois dos voos de certificação, a Itapemirim foi oficialmente aprovada na última fase das avaliações da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), para a conclusão do processo de Certificação como Operador Aéreo.

A certificação mostra que a Itapemirim segue os regulamentos da ANAC, cumprindo as normas, padrões e regulamentos da agência para operar voos regulares. Este também é um atestado da segurança das operações da empresa.

Ao todo o processo é dividido em cinco partes, sendo a última resultante na emissão do COA. na época ainda faltava a Outorga da Concessão (OC), que foi emitida quase um mês depois, no dia 20 de maio, autorizando a comercialização de passagens aéreas, algo que começou no dia seguinte (21/05).

Porque utilizar o Airbus A320 na frota?

Em 2017, quando negociava com a Passaredo, a Itapemirim estava negociando por aviões Bombardier CSeries, agora chamado de Airbus A220. O desejo de aviões da Bombardier continuou no início do projeto atual, em 2020, no entanto, de acordo com Sidnei Piva, a empresa optou pelas oportunidades que a crise forneceu.

Itapemirim
Maquete do Airbus A220 nas cores da Itapemirim.

Uma das oportunidades estava nas diversas aeronaves aposentadas pelas companhias aéreas de todo o mundo, barateando o leasing de muitos modelos. O Airbus A320, pela baixa demanda no mercado de carga, foi um dos mais afetados no mercado de leasing, diminuindo ainda mais os preços.

Foi nesta esteira de oportunidade que a Itapemirim aproveitou para montar a sua companhia aérea. Veja na entrevista abaixo que realizamos há 3 semanas:

Prometendo ter 10 aviões no primeiro mês de operações, a Itapemirim conheceu a burocracia de colocar uma aeronave para voar, e no dia 1º de julho iniciará as suas operações com três aeronaves, enquanto mais uma passa por alterações para começar os voos.

Em julho a empresa deve terminar o mês com 5 aviões na frota. As aeronaves que a Itapemirim recebeu no Brasil até o momento têm as seguintes matrícula (por ordem de entrega):

  • PS-SPJ
  • PS-AAF
  • PS-SFC
  • PS-TCS (ainda passando por adaptações)

Próximo a chegar: PS-ITA (está nos EUA já adaptado para operar voos)

Em agosto a ITA promete ter 10 aviões Airbus A320 na sua frota, e chegar a 50 em meados de 2022, para atender 35 destinos.

Na entrevista acima, Sidnei não descartou operar com outros modelos de aeronaves, principalmente para reforçar a participação da companhia no mercado regional.

Foco no conforto do passageiro, mas não como a Avianca Brasil

A Itapemirim disse que configurará os seus aviões A320 para transportar 162 passageiros. São 18 assentos a menos em relação à configuração máximo do modelo.

Os passageiros terão entre 79 cm e 107 cm de espaço, dependendo da localização do
assento dentro da aeronave.

As aeronaves da ITA foram customizadas e reconfiguradas para possibilitar mais espaço entre as poltronas. Assim, todas as fileiras de assentos estão dentro dos padrões da categoria A do selo ANAC de conforto. A única companhia que operou o A320 com uma configuração abaixo de 165 assentos foi a Avianca Brasil.

“Estamos reconfigurando os aviões para 162 assentos para que nossos passageiros
possam desfrutar de uma viagem de preço acessível, porém com toda a comodidade e
segurança”, explica Sidnei Piva, presidente do Grupo Itapemirim.

Além do conforto, a companhia chega com serviços diferenciados, como a
possibilidade do despacho gratuito de bagagem para todas as classes tarifárias e,
quando possível, serviço de bordo com refeições quentes.

A Avianca Brasil também contava com despacho gratuito de bagagens (até pouco antes de encerrar as operações) e serviço de bordo com sanduíches quentes. No entanto, só falta um sistema de entretenimento para a Itapemirim se igualar à Avianca Brasil.

 

Cancelamentos de voos a poucos dias do início das operações

Nas últimas semanas a Itapemirim se envolveu em uma polêmica com os clientes, ao cancelar os voos quase um mês após o início da venda dos mesmos, que foi no dia 21 de maio.

Na ocasião a companhia explicou aos clientes que precisou reorganizar a malha de voos. Realmente, a ITA passou de um modelo hub-to-hub para um triangular, como aplicado por outras aéreas nacionais em algumas rotas. Além disso, a menor quantidade de aviões na estreia também pode ter afetado a programação da empresa.

A recomendação é que os clientes da aérea consultem as suas passagens aéreas no site da Itapemirim. Se não for possível remarcar ou reembolsar a passagem pelo site, procure os meios de atendimento por telefone ou e-mail da ITA.

Nos primeiros cancelamentos, a Itapemirim deu uma passagem aérea de cortesia para os passageiros afetados, além de, logicamente, cumprir com o dever de reembolsar ou reagendar para qualquer data os voos cancelados. Na 2ª onda de cancelamento a empresa está oferecendo só o tradicional reembolso ou remarcação.

 

Primeiros destinos (Atualizados)

1. São Paulo-Guarulhos 29 de junho de 2021
2. Brasília 29 de junho de 2021
3. Belo Horizonte-Confins 1 de julho de 2021
4. Rio de Janeiro-Galeão 1 de julho de 2021
5. Salvador 1 de julho de 2021
6. Porto Alegre 1 de julho de 2021
7. Porto Seguro 1 de julho de 2021
8. Curitiba 3 de julho de 2021
9. Recife 1 de agosto de 2021
10. Maceió 1 de agosto de 2021
11. Fortaleza 1 de agosto de 2021
12. Florianópolis 1 de agosto de 2021
13. Natal 1 de agosto de 2021
14. Vitória 1 de setembro de 2021
15. São Luis 1 de setembro de 2021
16. Aracaju 1 de setembro de 2021
17. Goiânia 1 de setembro de 2021
18. Ribeirão Preto 1 de setembro de 2021
19. Belém 1 de outubro de 2021
20. Manaus 1 de novembro de 2021
21. Santarém 1 de novembro de 2021
22. Foz do Iguaçu 1 de dezembro de 2021
23. Macapá 1 de fevereiro de 2022
24. Imperatriz 1 de abril de 2022
25. Navegantes 1 de abril de 2022
26. Presidente Prudente 1 de abril de 2022
27. Uberlândia 1 de abril de 2022
28. João Pessoa 2 de abril de 2022
29. Campo Grande 1 de maio de 2022
30. Palmas 1 de maio de 2022
31. Cuiabá 1 de maio de 2022
32. Porto Velho 1 de maio de 2022
33. São José do Rio Preto 1 de maio de 2022
34. Teresina 1 de junho de 2022
35. Maringá 1 de junho de 2022

DEIXE UMA RESPOSTA