Itapemirim
Foto: Gabriel Benevides/Aeroflap

Com o encerramento das operações no apagar das luzes de 2021, a Itapemirim Transportes Aéreos nem sequer completou seis meses de atividades. 

Contudo, antes mesmo de realizar o seu último voo, dados do site Reclame Aqui revelaram uma varição de 137,5% na média diária de reclamações somente no mês de dezembro, além do aumento expressivo nos três últimos meses de 2021. 

Na maioria das reclamações, chama a atenção a contestação sobre o cancelamento de viagens, a não reacomodação dos passageiros e a falta de uma resposta por parte da companhia aérea, situação que se tornou mais evidente nos dias seguintes após o comunicado da suspensão das atividades da companhia aérea. 

Itapemirim
Foto: Reclame AQUI
Itapemirim
Média diária nas reclamações aumentou logo após o encerramento das operações da companhia Foto: Reclame Aqui

Além disso, os meses de novembro e dezembro foram os que tiveram o maior acumulado, sendo que em novembro totalizaram 1996 reclamações, enquanto os primeiros dezenove dias do mês de dezembro foram contabilizados um total de 1484 reclamações, conforme apuração do site Reclame Aqui. 

 

O que gerou um aumento das reclamações na Itapemirim Transportes Aéreos? 

Itapemirim PS-ITA
Foto: Itapemirim/Divulgação

Com a missão ambiciosa de ampliar os seus destinos em pouco tempo, a ITA Transportes Aéreos viu o seu planejamento desmoronar em decorrência da sua frota limitada, sem contar com os problemas mecânicos e de operações de solo, formando um efeito cascata em toda a malha operacional e consequentemente, inúmeros atrasos nos seus voos planejados.

Todos esses motivos levaram a companhia aérea a operar de forma debilitada não só para o cumprimento de voos previstos, mas também no pagamento de funcionários e colaboradores, diminuindo a confiança não só dos clientes, mas também dos investidores, o que impactou diretamente na saúde financeira da empresa aérea. 

Se analisarmos o mês de novembro, quando a companhia aérea contabilizou 1996 reclamações, coincide quando a companhia aérea abriu mão do cumprimento dos seus voos domésticos para cumprir voos fretados até o Uruguai com torcedores para a final da Taça Libertadores da América (clique aqui para ler a matéria). 

 

O que esperar do futuro da Itapemirim Transportes Aéreos?

Itapemirim
Foto: Autor desconhecido

Prestes a completar o primeiro mês desde o seu último voo regular, a ITA Transportes Aéreos divulgou em um comunicado interno no final de dezembro que estaria enviando três aviões ao exterior, com finalidade de “realizar a manutenção dessas aeronaves”.

Contudo, em uma publicação realizada pelo Congresso em Foco, tal envio das aeronaves ao exterior é devido ao pedido da empresa Carlyle Aviation Partners ter solicitado a devolução dessas aeronaves.

Uma pesquisa da AEROFLAP no sistema do site airfleets.net indica que as aeronaves PS-AAF, PS-MGF e PS-SFC estão arrendadas através da Carlyle Aviation Partners, e devem ser “devolvidas” pela companhia aérea, apesar desta afirmar que a movimentação é apenas para a manutenção.

Com isso, a promessa do retorno das atividades no dia 17 de fevereiro fica cada vez mais incerta. Enquanto isso, muitos clientes com passagens compradas para o final de dezembro e janeiro relataram ao Portal AEROFLAP que ainda não conseguiram realizar o reembolso das passagens aéreas. 

Por outro lado, a Itapemirim afirma já ter devolvido R$ 7,8 milhões em pedidos de reembolsos somente durante os dois primeiros dias úteis após a sua paralisação das operações, e que “os valores serão estornados aos clientes diretamente na fatura do cartão de crédito em um prazo de até 30 dias”.

Com informações: Reclame Aqui

DEIXE UMA RESPOSTA