MH-60T HH-60J Jayhawk UH-60 Black Hawk USCG Guarda Costeira EUA helicóptero
O MH-60T Jayhawk cumpre missões de busca e resgate e aplicação da lei, sendo uma das várias versões do UH-60 Black Hawk. Foto: Guarda Costeira dos EUA.

O UH-60 Black Hawk nasceu para substituir o UH-1 Huey/Iroquois como um helicóptero utilitário do Exército dos EUA. Mas ao longo dos anos, o Black Hawk desenvolvido pela Sikorsky cresceu e recebeu uma enorme variedade de versões para diversos tipos de serviço. Dentre eles está a nobre missão de salvar vidas com a Guarda Costeira dos EUA (USCG) e esse é o trabalho do MH-60 Jayhawk. 

A aeronave surgiu na década de 1990 quando a USCG precisava substituir o HH-3F Pelican. No final dos anos 1960 o HH-3F entrou em serviço como o principal helicóptero de resgate de médio alcance, mas 30 anos depois ele já mostrava sinais da idade. 

HH-3F Pelican. Foto: USCG.

A solução encontrada pela Guarda Costeira estava no SH-60/MH-60 Seahawk da Marinha. Este era uma versão “navalizada” do UH-60 com a bequilha deslocada para a fuselagem e o cone de cauda dobrável. O Seahawk tem como missão principal a caça de submarinos e navios de superfície, além de busca e resgate, transporte e inserção/extração de tropas especiais. 

Dessa forma, nascia o HH-60J Jayhawk junto de seu “irmão gêmeo”, o HH-60H Rescue Hawk da Marinha. Ambos são usados em operações de busca e resgate (SAR), no entanto, o Rescue Hawk tem como missão principal a Busca e Resgate em Combate (CSAR), um escopo diferente e mais complexo. 

O desenvolvimento das (então) duas mais novas versões do Black Hawk começou em setembro de 1986, com a Sikorsky recebendo um contrato inicial para cinco aeronaves. O primeiro Jayhawk, de matrícula 6001, fez seu primeiro voo 08/08/1989 e a USCG recebeu suas primeiras unidades em março de 1990. Um ano depois, a Estação da USCG em Elizabeth City, na Carolina do Norte, se tornou a primeira base de serviço do novo HH-60J. 

Foto: USCG.

Um total de 42 Jayhawk foram produzidos pela Sikorsky, com a produção sendo encerrada em 1996. Outros três foram convertidos posteriormente a partir de SH-60F da Marinha. 

Em 2007 a Raytheon foi contratada para modernizar 39 Jayhawks para o padrão MH-60T, a designação atual. A cabine é do tipo Glass Cockpit com displays digitais coloridos, novos sensores eletro-ópticos com câmeras de TV e infravermelho, um novo radar de busca e um pacote para uso de armas a bordo. 

Cockpit MH-60T Jayhawk
Cockpit do MH-60T Jayhawk. Foto via Reddit.

Dessa forma, o MH-60 também pode cumprir missões de aplicação da lei, principalmente contra embarcações usadas no tráfico de drogas. Um tripulante pode empregar uma metralhadora M240B calibre 7,62x51mm ou um rifle de precisão antimaterial M82 calibre .50 BMG.

Ainda assim, sua principal missão é a busca e resgate no mar. Para isso, o MH-60T possui um alcance máximo de aproximadamente 1296 km (700 milhas náuticas), ou pode voar por 300 milhas náuticas, permanecer 45 minutos no ponto de resgate, resgatar seis pessoas e voltar para a mesma base com combustível de sobra. 

MH-60T Jayhawk Amarelo USCG
A USCG pintou quatro de seus MH-60T Jayhawk com uma pintura amarela para celebrar seus 100 anos em 2016. Foto: Ray Rivard/USCG.

Os motores turboeixo General Electric T700-GE-401C o levam a uma velocidade de cruzeiro padrão de 260 km/h (140 nós). Mas em caso de necessidade, os motores podem atuar em regime de maior potência por um curto tempo, acelerando a aeronave a 333 km/h (180 nós). A 140 nós, ele pode voar por até sete horas. 

Foto: USCG.

As missões de resgate normalmente contam com quatro tripulantes: piloto, copiloto, chefe de cabine e mergulhador de resgate. Na hora do resgate, o mergulhador e a vítima são içados pelo guincho lateral com capacidade para ate 272 kg e um cabo de 61 metros. A aeronave também recebe três tanques de combustível externos, cada um com capacidade para 454 litros de querosene. 

Para obter a maior cobertura possível, os Jayhawk são distribuídos em oito bases da Guarda Costeira: Sitka e Kodiak, no Alasca; San Diego – Califórnia; Borinquen – Porto Rico; Traverse City – Michigan; Cape Cod – Massachusetts; Astoria – Oregon; Elizabeth City – Carolina do Norte e Clearwater na Flórida. 

No Brasil, o MH-60 Jayhawk é reconhecido pelo filme Anjos da Vida – Mais Bravos que o Mar (2006) com Ashton Kutcher e Kevin Costner, que conta a história de dois mergulhadores de resgate da USCG.