JetSmart Chile Airbus A320neo

Faz alguns anos que a JetSmart “ventila” a possibilidade de operar voos domésticos no Brasil, em mais uma expansão do Grupo IndiGo, que tem outras companhias aéreas de baixíssimo custo como a Spirit, IndiGo e Wizz Air.

No entanto, a pandemia fez a companhia repensar seus planos, e adiar alguns. Por enquanto a boa notícia é que os planos da JetSmart envolvendo o Brasil estão adiados, mas não totalmente cancelados.

Durante o IATA Wings of Change 2022 o CEO da JetSmart, Estuardo Ortiz, declarou em entrevista que “a operação doméstica no Brasil é um projeto que sempre levamos em conta e que estamos trabalhando em estreita colaboração com a Anac. (…) Será mais tarde, já que é muito cedo na recuperação para dar esse passo. Vamos ver como o mercado se comporta e decidiremos depois”.

“O Brasil é, de fato, um excelente exemplo do que toda a região deve fazer. A ANAC tem apoiado muito o crescimento, tendo conseguido, em conjunto com o Ministério dos Transportes, uma redução substancial das taxas aeroportuárias. Depois veio a pandemia e agora que tudo está se recuperando, espero muito mais tráfego indo para o Brasil por causa dessa decisão”.

JetSMART recebe autorização para voos domésticos no Peru

A companhia continuará com seus voos internacionais para o Brasil, atendendo alguns mercados como Foz do Iguaçu e Salvador. A JetSmart continua buscando novos mercados no Brasil para atender a partir do Chile ou da Argentina.

“Sempre exploramos novas rotas, por exemplo no Peru voamos para Trujillo e Arequipa de Santiago do Chile, rotas que nunca foram feitas, o mesmo em voar para Cali ou Medellín na Colômbia. Começamos no Brasil para voar para Salvador. Definitivamente, começaremos a trabalhar com os governos locais para ver que tipo de incentivos e condições podemos obter e, assim, buscar novas cidades”, disse Ortiz.

Apesar de só ter poucos aviões no total, comparando com as três grandes nacionais, a JetSmart tem por trás o grupo Indigo Partners. Este grupo é responsável pela administração de aéreas de sucesso como a Frontier e a IndiGo, sendo que esta última está forçando uma reformulação das clássicas do país, levando à falência até da Jet Airways.

A IndiGo, por sua vez, fez uma encomenda para mais de 500 aeronaves do modelo Airbus A320neo, utilizada em voos de pequena ou média distância. No Brasil, a LATAM e Azul utilizam aeronaves deste mesmo modelo.

 

Com informações do Aviacion Online.