Foto - @frenchpainter/Via Twitter

A Airbus recebeu nesta semana em Toulouse, França, uma aeronave do modelo BAe RJ100, conhecida também no mercado como o quadrimotor Jumbolino.

Essa aeronave de matrícula G-WEFX vai ser convertida em um avião-protótipo, com base em um programa de desenvolvimento de propulsão híbrida entre a Airbus e a Rolls-Royce, nomeado de E-Fan X.

A aeronave de testes se chamará E-Fan X, com base no nome E-Fan, já utilizado pela Airbus em um protótipo que se aposentou neste ano, com capacidade para dois passageiros e autonomia de voo de 45 minutos, usando somente propulsão elétrica.

O E-Fan X será baseado na estrutura do BAe 146, serão três motores convencionais e um motor elétrico com potência de 2MW, aproximadamente 2680 cavalos-vapor. Para isso a Airbus precisa adaptar a estrutura para receber o motor elétrico. O primeiro voo desse protótipo deverá ser realizado até 2021.

A intenção das três empresas é clara, colocar em prova um motor elétrico de alta potência, para saber qual é o comportamento térmico do motor, bem como a propulsão gerada em uma altitude de cruzeiro simples, para o voo regional. A Airbus, juntamente com a Siemens, já aprendeu bastante com os conceitos Cri-Cri Elétrico, e-Genius, E-Star e o E-Fan, mas todos esses aviões usaram motores à hélice de baixa potência.

Outros efeitos podem ser observados em motores elétricos de alta potência, um campo magnético é formado, e a Airbus quer analisar como isso altera o comportamento do sistema elétrico de um avião, considere que atualmente uma aeronave da fabricante europeia é bem dependente do fly-by-wire.